segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Bem disse...

Eu bem disse que não tardava nada para estar de volta.
Que ia de férias e que não tardava nada já estaria de volta ao trabalho...
E eis-me aqui, frente ao computador, e de regresso, três semanas depois...
Confesso que me está a custar... e muito...
Não tarda nada volto também com outros 'posts', ou pelo menos, assim o espero...
Hoje é uma espécie de dia de ressaca...
Ressaca de não ter horários nem horas marcadas...
Ressaca de poder ir pedalar quando me apetecesse às horas que me apetecessem...
Ressaca de ir até à praia...
Enfim...
Hoje é dia de regresso ao trabalho para mim e aos Tempos Livres por parte de filhote que tem estado este tempo todo das férias escolares em casa com a avó e depois comigo...
Hoje foi dia de ambos nos levantarmos cedo e regressarmos às rotinas que não tarda nada estão instaladas... Ou pelo menos, assim o espero...
Falta o regresso ao ginásio, que bem preciso...
E outras coisas mais...

quarta-feira, 3 de agosto de 2016

Caminhar, caminhar...

Por estes dias, com a bicicleta ainda por arranjar, e entretanto não pedalo há três semanas e uns dias, algo inédito na minha vida, tirando quando caí e estive a recuperar mas... adiante... Como estava a dizer, por estes dias, e agora que chegou agosto, o mês em que suspendo a inscrição no ginásio porque costumo estar de férias e, consequentemente, quero é pedalar, e como afinal não tenho bicicleta para pedalar, e correndo o risco de perder a forma e de ganhar peso, voltei às caminhadas...
Devia voltar às corridas, porque houve aí uma fase em que queria era conseguir correr, mas agora, não sinto motivação para correr pois se é algo de que nunca gostei e que sempre me custou horrores, para quê insistir em algo que me "chateia", já tenho tantas coisas para me "chatear" que o desporto não deverá ser uma delas... Mas para além disso, tenho e sinto umas dores esquisitas no calcanhar que se agravaram, precisamente, desde que desatei a correr...
Ainda achei que seriam dores causadas por umas botas manhosas que tinha mas agora com o Verão não as uso e a dor persiste e existe...
Às vezes à hora de almoço caminho 2 quilómetros para beber café e noutros dias, depois do trabalho, vou andar um pouco.
Ontem foram 9 quilómetros mas ao serão tive dores insuportáveis no calcanhar... Houve momentos em que mal conseguia andar ou colocar o pé no chão...
E de repente, eu que nunca fico doente ou tenho ou sinto mazelas, e que ignoro as doenças e dores por completo, depois destes anos todos em que comecei a pedalar já velha e a correr ainda mais tarde, sinto dores no calcanhar e nos joelhos por causa de quedas que dei da bicicleta... Já para não falar nas dores que estão no ombro e no braço e que se acentuam com o tempo frio ou quando estou alguns dias/semanas sem me ir exercitar ao ginásio... Perco logo parte da agilidade quando não ando lá pelo ginásio a fazer com que o braço trabalhe. Enfim....
As dores nos joelhos suportam-se mas... estão lá...
Já as dores no calcanhar... não são assim tão suportáveis...
Será que tenho que admitir que as dores estão a chegar, como quem não quer a coisa, por causa da idade, que os 42 já cá cantam... E que se estão a chegar e a instalarem-se confortavelmente, resta-me aprender a saber viver com elas...
Apetece-me dizer que é da "PDI"...!

A meio de uma caminhada que foi parar a meio da praia...

segunda-feira, 1 de agosto de 2016

Coisas que se sentem debaixo dos pés...

Se há coisa que sempre me assustou foi a ideia de um sismo.
Não sei porquê mas tenho essa... "pancada"...
Não sou hipocondríaca nem tenho manias de qualquer género mas... esta ideia do sismo, persegue-me desde criança, ainda que, felizmente, nunca tenha sentido um sismo...
Quer dizer, nunca tinha sentido um sismo até ontem...
Estava tranquilamente sentada numa esplanada na rua, com os meus pés bem assentes no chão. Pois claro, onde mais poderia ter os pés assentes...
E em segundos senti o chão por baixo de mim a tremer, num reboliço que me fez lembrar a passagem do metro, em Lisboa, quando estamos à superfície, próximos duma estação de metro. A questão é que aqui pelo Oeste não há metro e por isso estava fora de questão ter sido um comboio subterrâneo a provocar aquela mexida...
Soube mais tarde que se tinha tratado de um "pequeno sismo" de magnitude 3.5 na escala de Richter...
Também me apercebi entretanto do número pouco usual de "pequenos sismos" que têm decorrido nos últimos dias aqui pelo Oeste...
Aqui está algo que me assusta verdadeiramente... Comecei logo a pensar em mil coisas e o que veio mais à tona foi o animal e biológico pensamento de proteger a minha cria...
Pensei também em coisas que não sei se serão assim tão parvas, tais como imaginar que poderia ocorrer um sismo numa ida à Ilha das Berlengas, algo que planeava fazer nas férias... Não sei se é a minha imaginação fértil a trabalhar, se são pensamentos parvos ou de filme mas... com tanto "pequeno sismo" aqui pelo Oeste, sinto-me algo renitente em me 'afastar muito'...
Bom, esperemos que não seja nada a não ser a Terra a dar de si e a (de)monstrar que está viva...


"Um sismo de magnitude 3.5 na escala de Richter foi este domingo sentido na região de Cadaval, Óbidos e Peniche, informou o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA). Em comunicado, o organismo indicou que o sismo foi registado pelas 16:05 nas estações da Rede Sísmica do Continente, precisando que o epicentro localizou-se a cerca de seis quilómetros a norte-nordeste de Cadaval.Este sismo, de acordo com a informação disponível até ao momento, não causou danos pessoais ou materiais e foi sentido com intensidade máxima III/IV (escala de Mercalli modificada) na região de Cadaval, Óbidos e Peniche", referiu a mesma nota informativa. O IPMA esclareceu ainda que se a situação o justificar serão emitidos novos comunicados."


(imagem 'surripiada' a uma amiga do Facebook...)

Há que séculos que não ia ao cinema...

Não me lembrava da última vez que tinha ido ao cinema... Bom, quer dizer, creio que foi no Verão passado e o filme que fui ver, foi com filhote pelo que era (foi) um filme infantil.
Assim, neste fim de semana fui ver o filme Jason Bourne (2016) que tem já outros filmes mas que eu nunca tinha visto e, mais estranho ainda, nunca tinha "ouvido falar"...
E vai daí que me soube muito bem, não só a ida ao cinema, como também gostei do filme e fiquei com curiosidade para ver os seus antecessores.
E também não sei porquê, na minha cabeça o Matt Damon era um 'garoto' e, afinal, é até mais velho do que eu e já faz 46 anos em outubro...
Enfim... já tinha saudades de ir ao cinema... e das pipocas também...
:-)


sexta-feira, 29 de julho de 2016

Não feches a boca que não é preciso, capítulo MCCCXXVII, e não te arranjem a bicicleta que não é preciso...

Hoje tive consulta na Nutricionista. Passaram "apenas" vinte e oito dias desde a última consulta, ou seja, nem um mês passou e os factos não são animadores...
Tal como eu suspeitava, este 'mix' de menos idas ao ginásio, de não pedalar há dezanove dias porque a bicicleta precisa duma peça que não há em lado nenhum (aparentemente...), de sair mais vezes, de comer mais vezes fora, deu num aumento de peso substancial...
Nada mais, nada menos do que... 3 quilos!!! É isso mesmo, em vinte e oito dias engordei 3 quilos!!!
Fiquei desolada mas não era nada de que não desconfiasse... tendo em conta tudo o que tenho ingerido, era de esperar que isto sucedesse... O problema está no jantar e em comer fora porque, de resto, eu consigo controlar a minha alimentação... Não cometo excessos ao pequeno-almoço, nem a meio da manhã ou ao lanche... Ao almoço tem dias mas consigo controlar-me... O problema está nas quantidades ao jantar e quando como fora de casa porque me é mesmo muito difícil resistir a um problema chamado batatas fritas... As sobremesas tenho dispensado e imagine-se que comia sobremesas... teria engordado não três mas alguns cinco quilos...
Segundo a nutricionista, claro que posso comer fora de casa mas... dar preferência aos grelhados, com um pouco de arroz e salada... E eliminar da minha vida as batatas fritas que em casa nunca faço...
E posto isto, o meu Índice de Massa Corporal está já no 'breve' excesso de peso... 
E com isto tudo, ao invés de ter quatro ou cinco quilos para perder, agora tenho quase 10 quilos para mandar embora...
É a... vida... e o... maldito metabolismo lento que se apoderou de mim a partir dos 25 anos... Longe vão os tempos em que comia de tudo e não engordava...
:-(





quarta-feira, 27 de julho de 2016

À falta de bicicleta...

Sim, a minha bicicleta continua por arranjar e não tarda nada, estou a colocar risquinhas na parede a contar os dias que já passaram desde a sua avaria, e outros tantos até estar pronta pois o material de que precisa, parece que está difícil...
Assim sendo, e para combater alguma inércia que se apoderou de mim neste Verão cinzento do Oeste, ontem, não tendo ido ao ginásio à hora de almoço como é habitual, ao fim do dia peguei nas coisas e lá fui eu para uma aula de Cycling...
Não ia muito entusiasmada mas lembrei-me que não posso continuar assim, a mexer-me pouco e a comer mais do que é costume pois é tiro e queda para ganhar peso...
E assim lá fui eu... Gostei da aula mas preferia andar na rua a pedalar...
Ao contrário do que acontece no Inverno e na Primavera, a aula estava quase vazia, longe das enchentes nos dias curtos e frios...
Transpirei e gastei calorias, foi nisso que pensei pois é tão fácil ganhar peso... e depois só penso é em comer "porcarias"...
Nem quero imaginar quando for à Nutricionista no final da semana...
E que tristeza ganhar peso assim com tanta facilidade...


terça-feira, 26 de julho de 2016

Surpresa...

Acho que já nem me lembro da última vez que me senti... surpreendida...
E vai daí que ontem cheguei à caixa do correio e dei de caras com uma bela surpresa... por ser surpresa, por ter chegado, precisamente, pelo correio (parece que por se ter tornado em algo tão pouco usual, que ganhou 'valor' receber 'coisas' pelo correio...), por ser azul (a minha cor preferida) e por ter vindo de alguém muito especial. 
E também porque tem o meu nome gravado... 
Não estava nada à espera, adorei... obrigada... :-)
Mal posso ansiar por escrever e tomar notas no Caderno de... notas... Afina, passa-se a vida atrás dum teclado, seja no computador, no trabalho ou no telemóvel. Escrever "à mão" parece algo cada vez mais distante e que cada vez se faz... menos...


segunda-feira, 25 de julho de 2016

Não sei o que vai sair daqui...

Bicicleta avariada há quinze dias...
Menos idas ao ginásio.
Corridas quase inexistentes.
(Muitas) Mais saídas do que é costume.
(Muita) Mais comida ingerida do que é costume.
Muitas mais batatas fritas ingeridas do que é usual ou hábito na minha vida...
Só bebia água na minha vida pacata e agora com mais saídas, dou por mim a beber um pouco de... sangria ou vinho rosé...
No final desta semana tenho consulta na Nutricionista em que era suposto ter perdido, no mínimo, dois quilos, vá... Para perder um total de cinco quilos que me fustigam o corpo e a mente...
Isto está bonito, está... Vai ser lindo quando saltar para cima da balança e medir o perímetro das minhas super coxas...!
Por outro lado... é Verão... e começo a achar que há que aproveitar a vida...
Tenho passado a minha vida toda "só" a trabalhar e a cuidar da vida doméstica, sem aproveitar muito, sempre enfiada no ginásio ou a pedalar...
Acho que agora, ou pelo menos durante o Verão, também tenho direito a 'gozar' ou a usufruir um pouco de alguma "boa vida"... Não quero com isto dizer que descurei tudo ou o 'resto'... Nada disso... É só que me sinto mais... tranquila e com vontade de viver e aproveitar tudo o que não fiz antes...
O pior mesmo é ganhar peso mas... não tarda volta tudo ao lugar... e espero que a bicicleta também volte pois já estou a dar em doida com a sua falta...

terça-feira, 19 de julho de 2016

Experimentei...

Nunca tinha usado e agora experimentei um verniz preto e não é que não 'desgostei' de (me) ver...? 
É o 46 black is back - verniz de unhas the gel da Essence e não, não me pagaram para fazer publicidade... Apenas me apeteceu partilhar aqui pois ando sem inspiração para grandes escritas...
Deve ser porque a minha bicicleta está a arranjar há uma semana e uns dias e vislumbra-se que vou ter de ficar sem ela mais umas duas semanas porque é o tempo que demoram a vir certas peças...
Enfim... já estou a ressacar com a falta de pedalar e ainda estamos a meio do mês... nem quero imaginar que não vou poder pedalar até ao final deste mês...
"Socorro!!!"...



segunda-feira, 18 de julho de 2016

42... anos...

Ontem fiz então... 42... 42 anos... Acho quase inacreditável ter já esta idade pois, (e sabendo que me estou a repetir), não me sinto nada com esta idade...
Contudo, como dizem que a vida é feita de ciclos e que esses ciclos são compostos por 7 anos, sinto-me algo... esperançosa.

Com este aniversário, inicia-se um novo ciclo de 7 anos na minha vida. Tenho a esperança de que a partir daqui se inicia um novo ciclo, mais esperançoso no futuro e na vida.
Nos últimos 7 anos abateram-se sobre a minha vida diversas tempestades, desde a mudança de Lisboa para o Oeste, que com isso implicou o embate de não ter amigos ou a família por perto, perdi o meu pai, tive o acidente de bicicleta, perdi parte da agilidade do braço, ganhei placas e parafusos, e outras coisas mais...
Pois bem, volvido algum tempo, concluo que aquele lugar comum é verdadeiro: o que não mata, torna-nos mais fortes, mais pacientes e menos... lamechas... Que perdi muitas coisas, mas que também ganhei muitas outras. Que se abateram sobre a minha vida diversos embates mas que, cá estou eu de pé, depois de ter sido 'esmurrada' e 'deitada abaixo'. Consegui reerguer-me e com isso sinto que a vida agora só pode melhorar e trazer-me coisas boas e felizes... E a vida já o está a fazer para mim, de forma quase escancarada e sem esperar...

Posto isto, acredito e tenho fé que este novo ciclo de sete anos que se inicia com este aniversário, só pode ser mais espirituoso, tranquilo e... esperançoso...

Baixar braços perante adversidades... nunca na vida...

Life goes on...