sexta-feira, 24 de março de 2017

A beleza que circunda as ruínas mostra-nos que do caos pode emergir e nascer algo de novo e belo...

Todos os dias passo por ali mas ontem apeteceu-me parar e tirar uma fotografia a algo que tem estado sempre ali, tão perto e que surge quase como uma analogia à vida.
Ali, no meio daquele estado degradante em que se encontra aquela casa, floresceram flores numa forma e cores maravilhosas.

É assim, quando menos se espera, ainda há esperança, o belo invade o que se foi deteriorando e estragando e sobrepõe-se pela sua beleza.
Às vezes está tudo lá, mesmo à nossa frente, nós é que não conseguimos ver.


quinta-feira, 23 de março de 2017

Diz que começou a Primavera...

Mas eu gostava de saber por onde é que ela anda porque assim de repente, está escuro, chove e não se vislumbra um ar ameno e alegre que indique que a Primavera chegou...
A hora muda neste fim-de-semana e com isso chegam os dias e as tardes maiores que até dão para pedalar de vez em quando mas com o tempo que está, não é possível ir para a rua e pegar na bicicleta...
:-(



(imagens via Pinterest)

quarta-feira, 22 de março de 2017

Não acho isto normal...

Isto das redes sociais tem realmente muito que se lhe diga...
Pois que ontem recebi uma mensagem, via Messenger, duma pessoa conhecida, com quem simpatizo, que conheci até por causa da bicicleta, que quando nos encontramos é uma "festa" mas com quem não tenho um contacto regular ou vejo frequentemente...
Essa pessoa também é minha 'amiga' no Facebook... E nesse mesmo Facebook, raramente coloca coisas e ainda mais raramente se manifesta nas coisas que eu partilho que até são algumas e com alguma frequência...
Pois que nessa mensagem pedia a minha ajuda relativamente a um problema de saúde sendo que não existe nenhuma conversa ou acontecimento prévio entre nós relativamente a essa área desse problema de saúde... A ajuda era no sentido de se eu conhecia a clínica xpto ao que respondi que lamentava, mas que de facto não conhecia a tal clínica nem ninguém que lá pudesse ter ido ou trabalhado...
Eis que surge a resposta de volta, algo agressiva até, a dizer o seguinte, que me deixou algo incrédula e desiludida ao mesmo tempo: é que como eu tinha feito 'like' no 'site' do Facebook dessa clínica, achou que eu podia conhecer aquele sítio. E isto escrito num tom quase agressivo como se eu estivesse a ocultar informações sobre a tal clínica, e isto, pura e simplesmente porque fiz o raio dum 'like' no Facebook da clínica.
Mandei beijinhos e respondi que efetivamente não conhecia o sítio.
A partir daqui, isto que não tem interesse nenhum, levou-me a pensar em várias coisas, tais como:
- Então mas esta pessoa é daquelas que nunca aparece e se manifesta no Facebook, supostamente nem vê nada e, afinal, está para ali a controlar os meus... likes...?
- Então mas esta pessoa nunca pergunta se eu estou bem ou a morrer e agora surge do nada a questionar sobre assuntos dos quais eu desconheço e que nem falámos...?
- Então mas será que está tudo doido? Lá porque se faz um like num site ou numa coisa no Facebook, é o equivalente a conhecer tudo muito bem...?
- Isto dá mas é vontade de apagar estas pessoas todas ou começar uma conta nova de Facebook onde não estejam estas pessoas que não estão lá mas que afinal estão e, pelos vistos, até andam a cuscar tudo, em silêncio absoluto, para ninguém as (os) topar enquanto o fazem...
Eu... sinceramente... Isto das redes sociais tem mesmo muito que se lhe diga... Não acho normal tudo isto mas isto sou eu que não utilizo as redes sociais desta forma...
Começo a achar que sou mesmo... ingénua no que a tudo isto diz respeito...

Barrigada de bicicleta... ou nem tanto...

Não pedalava desde o final de fevereiro pelo que as saudades da bicicleta já eram mais que muitas... E vai daí que, mesmo sem a hora ter adiantado ainda, no final da semana passada preferi ir dar umas mini voltitas ao fim da tarde, depois do trabalho, do que ir enfiar-me no ginásio... O tempo estava bom, organizei tudo no trabalho para conseguir sair um bocadinho mais cedo e aí fui eu para casa, equipar-me e colocar as luzes na bicicleta para precaver a vinda para casa, que seria já de noite...
Assim sendo, na quinta e na sexta-feira deu para pedalar um bocadinho entre o final do dia e o cair da noite e no fim-de-semana pedalei mais uns bocadinhos ao fim da manhã.
Sim, fui pedalar ao fim da manhã porque acordo (muito) cedo todos os dias para ir trabalhar e achei que, já que tinha mais tempo livre porque o filhote tinha ido passar o fim-de-semana com o pai, que podia (e devia...) acordar mais tarde para descansar um bocadinho e assim ir pedalar à vontade, sem pressas e sem horários...
No domingo saí de casa quase ao meio-dia e, apesar do tempo que ficou nublado, ainda foi uma bela voltita.
Sinto que ainda não estou em grande forma e por isso as voltitas do fim do dia foram de cerca de 30 Km cada, no sábado foram cerca de 35 Km e no domingo mais 43 Km. Não é muito mas sendo na bicicleta de BTT, porque não tenho de estrada (quem sabe um dia, ai, ai... - suspiro...), até não foi mau para quem não pedalava há... dezasseis dias...
Pedalar alivia-me a alma e, de certa forma, dá alegria aos meus dias...
Agora era preciso era que a Primavera se instalasse de vez e não estivesse escondida, como hoje... Até porque no próximo fim-de-semana muda a hora e as tardes vão ficar mais longas...



Pausa a meio duma das pedaladas. Foi difícil resistir ao mil folhas mas... dias não são dias...

Algures vista de cima para baixo, assim até parece que estou elegante mas há uns quilinhos a mais que estão alojados nos glúteos...

terça-feira, 21 de março de 2017

Anda uma pessoa a ver e a cobiçar roupas de ciclismo...

Anda uma pessoa a ver e a cobiçar roupas de ciclismo e a suspirar pelas coisas giras que vai vendo e guardando uma ou outra para eventuais compras futuras quando, assim de repente, dá de caras com esta informação extremamente útil...
Assim de repente, só me deu vontade de rir pois não sei se a imagem é exemplificativa de que a proteção do calção é muito eficaz ou se a pedalar, estes calções permitem e aconselham alguma flautulência diversa...


Música e letra que acompanharam a minha cabeça nas pedaladas do fim-de-semana...

E que, como ninguém me ouvia, cantei um bocadinho, soltei a minha voz cá para fora que é algo tão raro e difícil mas, ali no meio do mato, entre flores, arbustos, aves e água, cantei baixinho e só eu me ouvi a mim mesma e foi como que... libertador...

- Fácil de Entender -

Talvez por não saber falar de cor, Imaginei
Talvez por não saber o que será melhor, Aproximei
Meu corpo é o teu corpo o desejo entregue a nós
Sei lá eu o que quero dizer, Despedir-me de ti
Adeus um dia voltarei a ser feliz

Eu já não sei se sei o que é sentir o teu amor,
não sei, o que é sentir, se por falar falei
Pensei que se falasse era fácil de entender

Talvez por não saber falar de cor, Imaginei
Triste é o virar de costas, o último adeus
Sabe Deus o que quero dizer

Obrigado por saberes cuidar de mim, 
Tratar de mim, olhar para mim, escutar quem sou, 
e se ao menos tudo fosse igual a ti

Eu já não sei se sei o que é sentir o teu amor,
não sei o que é sentir, se por falar falei
Pensei que se falasse era fácil de entender

É o amor, que chega ao fim, um final assim,
assim é mais fácil de entender

Eu já não sei se sei o que é sentir o teu amor,
não sei o que é sentir, se por falar falei
Pensei que se falasse era mais fácil de entender

sexta-feira, 17 de março de 2017

Que nem um passarinho

Há meses que o meu sono não é mais o mesmo. Quer dizer, dá-me o sono cedo, por volta das 23:00/23:30 mas... depois de adormecer, tenho acordado várias vezes de noite e dou por mim a sonhar novamente com muitas coisas. O desassossego noturno é tanto que às vezes acordo com um ar cansado e cheia de olheiras...
Pois esta noite dormi a noite toda de seguida, sem interrupções, e só acordei às seis e pouco da manhã, aflita para fazer xixi...
Não sei se este sossego mental se deveu ao facto de ontem, ao fim do dia, ter ido dar uma volta de bicicleta como não fazia há bastante tempo, há dezasseis dias para ser mais precisa, e que me soube pela vida...
Foi uma volta algo atribulada por ter muitos mosquitos à mistura mas até correu bem tendo em conta o meu tempo de paragem...
Saí mais cedo do trabalho, e assim deu para dar uma voltita de (apenas) 30 Km mas em que cheguei a casa já de noite, por isso, ainda bem que tinha as luzes na bicicleta...
Outro fator que eu acho que ajudou a que não estivesse tão cansada a pedalar, foi o facto de no dia anterior e de no próprio dia, não ter ido ao ginásio... Às vezes venho de lá estourada e quase sem energias...
Enfim... o tempo estava bom, não se sentia frio e nem vesti o casaco e até gosto de pedalar ao entardecer...
Melhor ainda é chegar ao pé da água, do mar, ter sítios tão belos e prazeirosos para correr, caminhar, pedalar, passear, fazer piqueniques, com uma temperatura tão amena, e por aí fora, e não se ver vivalma...