quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Correr para aquecer

Onze graus lá fora e fui caminhar depois do jantar com a minha amiga canina. O frio era cortante e senti o meu nariz a gelar. Tapei-me com o corta vento mas depressa fiquei encalorada. O frio puxa a que se ande mais depressa e a que se corra nalgumas partes do percurso.
As ruas estavam desertas, silenciosas e cobertas por uma espécie de névoa húmida iluminada por uma lua muito brilhante.
Pensei que até era estranho não ter medo algum de percorrer estes 2 quilómetros sem ver ninguém, com as ruas vazias, apenas passavam alguns carros e via a iluminação nas casas. O silêncio foi quase total mas não senti, nem sinto, medo algum. Não sei se isto é bom, se é mau, se é cómodo, se realmente não há que ter medo, se realmente ando confiante demais mas aqui pelo Oeste não há, nem tem havido, 'confusões'...
E assim vou andando, resta saber até que temperatura aguentarei para sair de casa sendo que chego sempre com calores.
Agora como o corpo arrefeceu estou com frio mas sabe mesmo bem andar... Sei que me estou a repetir mas como é possível não me ter mexido durante tantos anos. Como é possível ter tido uma vida tão sedentária. Pensando bem, eu não me mexia para quase nada e muito menos andava ou corria...

1 comentário:

Susana Garcia disse...

olá amiga, andas a gostar mesmo de fazer ginástica e de correr,fazes bem, mas cuidado com o frio que agora tem estado e também com essas ruas mais desertas, mas continua a fazer exercicio.bjs