quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Sinto-me o vaso de flores do E.T.

Que expressão e comparação tão tótó mas realmente sinto-me o vaso de flores que aparece no filme do E.T. mas na sua versão murcha.
Não o consigo explicar mas há dias, em como o de hoje, que me sinto murcha e profundamente triste. Tão triste que nem sei bem de onde vem esta tristeza já que tenho tudo para ser feliz. E a prova deste sentimento é que já nem me lembro de quando foi a última vez que achei graça ou piada a qualquer coisa. Não me recordo de rir com vontade, de ter vontade de fazer parvoíces que me faziam rir, de me sentir liberta, aliviada e... feliz. Se bem que a felicidade é muito relativa mas neste momento quase nada me alegra e sinto-me a murchar e a ficar cinzenta e "dura" de dia para dia.
Deve notar-se tanto na minha cara que hoje pelo menos três pessoas já me perguntaram se estava tudo bem comigo.
Parece que estou a perder a vontade de rir, de sorrir, de acreditar nas pessoas, estou cada vez mais fechada e sinto isso no meu "círculo social".
Em suma, sinto-me como uma flor murcha que de repente não sabe o que a fará 'arrebitar' novamente, para além do meu filho e do meu marido é claro, que são o meu grande motor de arranque e de incentivo para continuar a... sorrir... ainda que muitas vezes cansada e sem vontade...
Desculpem, isto foi só um desabafo. Mais loguinho isto passa...

1 comentário:

Luísa disse...

Beijinho e abraçinho apertado