domingo, 1 de maio de 2011

O dia em que estive alguns segundos na "twilight zone" - foto não aconselhável a pessoas sensíveis...

O dia em que pela primeira vez na minha vida me senti como que numa espécie de "twilight zone" foi hoje, o dia em que depois de muitos anos com dúvidas e ânsias ganhei coragem e fui dar sangue. Já o tinha tentado fazer há muitos anos atrás mas na altura não me foi permitido devido ao excesso de peso e à tensão muito alta.
Como sempre fui dada a "chiliques" depois de fazer análises, e ainda que quizesse muito ser dadora de sangue porque sei que faz falta, fui adiando esta decisão até ao dia em que a oportunidade e o momento chegaram.
Primeiro foi o pai cá de casa, eu ainda disse que não ia (!), mas depois o pai ligou-me a perguntar se eu não queria mesmo ir porque estava pouca gente e assim lá fui eu. Peguei no filhote, cheguei, preenchi uma ficha, o médico picou-me o dedo para ver o nível de hemoglobinas no sangue - e o filhote a assistir sem medos - mediu-me a tensão (14/8, não estava muito bem mas também não foi factor impeditivo) e aguardei pela minha vez.
Como era a primeira vez que doava sangue e devido ao meu antecedente de chiliques com sangue, toda a gente foi muito atenciosa comigo. De facto, as pessoas que trabalham na área da saúde deviam ter medalhas e prémios todos os anos porque o seu trabalho e a sua missão são de louvar.
Relembrei que quando me tornei dadora de medula que não tinha desmaiado nem sentido mal pelo que conversámos sobre a diferença de se tirar sangue em jejum e já com o pequeno-almoço tomado que é o caso da doação de medula e de sangue.
Bem, estava tudo muito bem, nunca me senti mal durante o processo. Foram 10 minutos em que foi retirado quase meio litro de sangue e em que estava tudo bem.
No entanto, quando me retiraram a agulha começo a sentir-me tonta e fraca... Puseram-me de "cabeça para baixo" no sítio onde estava semi deitada a doar o sangue, bebi água e tal, sentiram-me o pulso, pelo meio o meu filho corria para mim e ele e o pai iam e vinham falar comigo e foi por aqui que me senti a entrar numa espécie de "twilight zone"... Não sei o que foi mas senti-me fraca, fraquinha, como que a desvanecer e por momentos parece que estava noutro lado e não consigo explicar a sensação tremenda de paz que senti... Foram só uns segundos porque alguns minutos duraram a minha recuperação para finalmente me sentar e ir comer um lanchinho que simpaticamente disponibilizam no final a quem doou sangue... O filhote comeu bolachinhas e a preocupação dos técnicos e de quem estava a dar apoio foi excelente.
Apesar do chilique, apesar da minha entrada na "twilight zone" valeu muito a pena e quero repetir lá para o fim do ano. As mulheres podem fazê-lo 2/3 vezes por ano e os homens 3/4 vezes.
De resto as recomendações para o dia de hoje foram nada de esforços físicos, de fazer força, de fazer exercicío, nada de emoções fortes, muita calma e sossego.
E assim tentámos que fosse o nosso dia culminando num lanche em que comi um gelado enorme, hiper calórico e com 'chantilly', como há muito não comia. Não quis saber das calorias e há muito tempo que não me sentia assim tão tranquila, calma e pacífica...
Por favor, se puderem doem sangue. Não custa nada, faz tanta falta, faz bem ao nosso organismo e deixa-nos muito tranquilos...


4 comentários:

akombi disse...

eu não posso ser dadora nem de sangue nem de medula....peso 49kg e tem que se ter no minimo 50kg.


essa sensação que descreves sinto-a tantas vezes de manhã em jejum e não lhe acho nenhuma piada, apesar de comer mtos doces acordo quase sempre com falta de açúcar, no inicio tb "chilicava" e começava a ficar ansiosa o que me fazia ainda sentir pior......em análises normalmente sinto-me bem.

fizes-te um acto de louvar e foi bem merecido o hiper gelado.

Lilly disse...

Eu gostava de ser. Mas infelizmente a diabetes não me permite. Dou muito valor a quem o faz. Os meus parabéns ;)

Rachel disse...

Isso é que foi coragem!
Eu também hesito de cada vez que vou dar, mas vou sempre! Também me sinto na Twilight Zone, aquela sensação de que não estamos ali mas ouvimos e vemos tudo.
Este ano não dou, porque estou grávida, mas assim que possa lá vou eu, até porque 1 x dador convém dar sempre porque o organismo entra no ritmo.

Beijinhos

Isabel disse...

Ainda não me aventurei a dar sangue, sou só dadora de medula.

Mas palpita-me que vou sentir o mesmo que tu, já que sou bastante dada a fraquezas e desmaios...

Beijocas!