sexta-feira, 8 de julho de 2011

Estranheza com a minha magreza

Apesar de já terem passado vários meses desde que atingi o peso a que me propus (desde Outubro/Dezembro de 2010), em que perdi cerca de 25% do peso e em que demorei um ano para que tal acontecesse, as pessoas continuam a fazer comentários à minha magreza com ar de estranheza.
Para começar, e devido à minha estrutura óssea, nunca me sinto magra/magrinha até porque continuo a ter o ‘rabito’ e a anca compostos. Aliás, tenho celulite e abanam quando estou despida e realmente devem ser as únicas partes do meu corpo que têm gordura pois tudo o resto está seco…
Depois parece que me fazem estes comentários sem acreditar muito no que digo. Eu diria que 90% das pessoas que comentam a minha magreza com ar de estranheza não acreditam que não tomei medicação, que não fiz tratamentos e que não fiz uma dieta altamente restritiva.
Quando respondo que sempre comi de tudo mas em menor quantidade e que reaprendi a comer parece que estou a falar chinês.
Seria mais fácil de entender (como dizem os The Gift numa canção) e aceitável se eu respondesse que me encharcava em comprimidos, xaropes e chás, que fazia centenas de massagens drenantes, mesoterapia, acupunturas, que vomitava o que comia, que comia uma maçã por dia e, quiçá, que tinha feito uma operação plástica ao rabo e às ancas.
Mas não. O que se passou comigo foi tão simples que passei a acreditar que basta acreditarmos em nós próprios e termos força para conseguirmos o que queremos e a minha ajuda foi a Nutricionista e o imenso exercício físico bem como as pessoas à minha volta que me deram força: o meu marido e a minha grande amiga S.
Ainda hoje me disseram/perguntaram que tinha emagrecido tanto, que tinha sido com uma boa dieta, não?
Pois, sim e não, mais ou menos. De facto deixei de comer folhados e salgados e de me atafulhar em pães com manteiga quando chego do trabalho. Deixei de comer todos os dias uma fatia de salame retirada das máquinas de snacks do meu trabalho. Deixei de me empanturrar com molhos e pão cheios de gordura. Deixei de desatar a comer fatias de chouriço e de queijo com pão antes das refeições.
Isto é fazer dieta? Acho que não. Isto é aprender a comer e a conter os ímpetos. Estas coisas ficam para dias de festa onde como de tudo e mais alguma coisa. O que passei a perguntar-me foi: preciso de comer um folhado? O croquete faz-me falta ao organismo? Desmaio se não comer um salame? O pão com manteiga faz parte duma refeição?
Não, pois não? Então não preciso de os consumir…
E depois o exercício. Já disse isto vezes sem conta. Perder peso é algo matemático. Tem a ver com as calorias consumidas e as que se gastam.
Se comemos muito e não nos mexemos é provável que se engorde…
Se nos mexemos, estamos no bom caminho…
E é isso. Mais um desabafo sobre a minha perda de peso e os comentários infindáveis sobre o meu emagrecimento.
Às vezes parece-me que as pessoas esperam ou pensam que estou doente e que foi por isso que tanto emagreci…

2 comentários:

akombi disse...

sei que é dificil, mas não ligues, eu sempre ouvi desses comentários.....o pior foi qd estava grávida da V12 e uma amiga da minha sogra que tinha a filha tb no mesmo tempo que eu de gestação comenta " ai que barriga tão pequena, esse bebé deve de vir com problemas..." ela super gorda bem como a filha que até se confudia a gravidez com obesidada....resultado a V nasceu com 3,300kg e 50 cm, já a bebé dessa senhora nasceu de tempo normal mas esteve na incubadora.

agora que estou a mudar o corpo, deve e ser mudaça de idade, tou a começar com prisao de ventre, rsultad estou a ficar com pneus tanto na barriga como na lateral junto á zona lombar, mas pensas que alguém diz que estou diferente?....sempre me comentaram como se eu fosse doente....e ir comer com alguem, era o espanto por eu comer pouco....sempre comi de forma a não me sentir cheia, não gosto dessa sensação.

Dulce disse...

Ó Ana, eu sorri, sim, mas não gargalhei. Sabes, o humor é uma coisa muito pessoal, e é por isso que é tão bom! Tu achas muita graça a uma coisa que a outros apenas suscita um sorriso, ou apenas sorris de algo que leva outra pessoa às lágrimas de tanto rir... Eu acho isto maravilhoso, o facto de o humor ser tão pessoal! Beijos