quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Porquê? Porquê? Porquê?

Isto até poderia ser o refrão da música dos Contos de Tinga Tinga mas ultimamente, lá por casa, é o refrão das conversas do filhote.
No meio de qualquer conversa surge sempre um "porquê mãe?" e às vezes os porquês são tantos que sinto a minha cabeça a fumegar.
Isto faz-me lembrar as conversas da minha mãe sobre mim e sobre como eu estava sempre a fazer perguntas, sempre a perguntar o porquê de tudo e do que estava escrito nas legendas dos filmes (aos 4/5 anos) que davam na televisão e que até deve ter sido por isso que quis e que aprendi a ler antes de ir para a escola. E a verdade é que o filhote também já me começa a perguntar "o que é que os senhores estão a dizer" (nos filmes) e "o que está escrito naquelas letras"...
Da próxima vez que for a casa dos meus pais vou trazer comigo o velhinho livro Porquê que a tantas dúvidas esclarece e que me foi oferecido quase do género: "por favor cala-te um bocadinho e procura as tuas respostas no livro"...

(imagem da net)

1 comentário:

Rachel disse...

Os porquês já passou mais, agora as perguntas durante os filmes às vezes deixa-me a cabeça frita!!