quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Uma amiga pediu-me que enviasse fotos nossas...

E eu tentei enviar meia dúzia de fotos dos últimos dois meses, minhas e do filhote. Não nos vemos há coisa de dois anos e de vez em quando trocamos mensagens para saber como anda a vida.
Agora, ao rever as fotos que lhe enviei, não sei o que me deu mas arrepiei-me... Suponho que seja porque lhe enviei as fotos mais felizes e divertidas dos últimos tempos como, por exemplo, aquela em que estou a fazer figurinhas tristes a dançar danças medievais mas em que me ri e diverti como há muito tempo não me ria e divertia...
E mais fotos doutras ocasiões que foram importantes e significativas para mim e para a minha vida...
E depois as fotos do filhote, umas na escolinha, outras por aqui e por acolá e sempre com um ar feliz.
De repente, ao olhar para as fotos, foi como se constatasse o que já sei: que aqui no Oeste a vida é diferente e que nos proporciona imensas coisas novas e diferentes, que nos tem feito felizes... Que a mim me tem feito passar e viver por um sem número se situações novas e de aprendizagem constantes.
Suponho que por tudo isto 'quebrei' e 'lacrimejei'...