terça-feira, 29 de maio de 2012

Credo, assim parece que tenho umas pernonas...

Bem, é do ângulo da foto mas assim realmente parece que tenho umas pernonas.
Tudo isto para 'exemplificar' as mazelas com que fiquei nas pernas da maratona em que participei no fim de semana. Para além das escorregadelas que me fizeram ter dores num dedo do pé e que me "obrigaram" a andar já de sandálias quando por aqui ainda está fresquinho, ganhei arranhões nos braços e nas pernas e nódoas negras que aqui nem se veêm bem...
E estou de saia realmente porque me apeteceu e porque fiz depilação e apetece-me variar das calças independentemente das nódoas negras nas pernocas...
A maratona foi (muito) dura, basta dizer que participaram apenas três mulheres e para além das dores que tinha, a bicicleta não respondia como eu queria e foi um atrofio. Comecei a enervar-me por a minha prestação não corresponder ao que queria por causa do mau estar no dedo do pé e por causa dos problemas mecânicos e às tantas não era só a bicicleta que atrofiava, eu própria também atrofiei das ideias. E naquele momento de atrofio, parecia um filme daqueles em que as pessoas estão entre a vida e a morte, vi a minha vida toda em segundos, sobressaindo o que mais me magoou e desatei num pranto a chorar debaixo dos óculos escuros e a pedalar no meio de caminhos mais que difíceis de pedalar...
Entretanto pesquisei na net e realmente as maratonas de BTT, para além da parte física, estão também associadas a uma boa 'endurance' e resistências psicológicas e por isso deve estar explicado este meu momento de "fraqueza mental" quando a prova não me corria bem...
Eu e o maridão fomos praticamente os últimos mas pelo menos fizémos a prova. Ironicamente fiquei em terceiro lugar no escalão feminino porque, realmente, só participaram três mulheres, contando comigo própria...
Para além da dureza dos caminhos, a prova foi muito desgastante do ponto de vista psicológico por estar a sentir que a minha prestação não correspondia ao que eu podia dar, mas enfim, tiraram-me muitas fotos e fica a experiência brutal de tantos caminhos sinuosos...
Foram 32 quilómetros feitos em 2h50mns com uma altimetria de quase 800 metros, o que é muito...
E sim, ontem fui mesmo fazer a aula de cycling ao fim da tarde porque, apesar das leves dores no dedo do pé, nada me doía no resto do corpo nem me sentia cansada. Fiz a aula toda cheia de energia, transpirei mais que sei lá o quê e só 'avisei' o professor de que não colocava tanta carga como de costume para não forçar muito depois do esforço quase hercúleo (físico e psicológico) do dia anterior...
No fim de aula senti-me mesmo bem. Fiz bem em ter ido, o meu corpo não se enganou ao pedir para ir...

- fotos retiradas -

Sem comentários: