quinta-feira, 26 de julho de 2012

Oh não, a angústia voltou...

Há algumas semanas/meses que não me sentia angustiada na aula como voltou a acontecer hoje no final...
Na semana passada não foi possível ir e hoje, lá está, ainda que goste mesmo muito da aula e sinta o corpo a trabalhar de forma diferente de todas as aulas e exercicíos que faço, no final comecei a sentir-me pseudo angustiada e pseudo deprimida por causa duma música que tocava, uma música instrumental deveras melancólica e triste...
O impacto é tão forte que só me apetecia fugir dali, correr para o balneário como é meu apanágio e deixar aquela música e aquelas reflexões para trás...
E depois venho trabalhar a "ruminar" nestes sentimentos que não me deslargam assim tão facilmente durante a tarde...
Isto não devia ser nada assim até porque dá um imenso prazer tentar e forçar o corpo a flexibilizar-se e a harmonizar-se de formas como antes nunca o tinha feito. Gosto de sentir o corpo a trabalhar e a permitir fazer uma série de coisas que quando cheguei ao ginásio eram impensáveis ou impossíveis de fazer...
O 'problema' é mesmo o final e as suas músicas reflexivas...
Já só pensava que logo tinha tenho que ir às compras, que não tenho nada para o jantar, que o filhote tem que tomar banho, que tenho carradas de roupa para passar a ferro e outra tanta para apanhar do estendal e estender outra que está por secar num alguidar...
Ai que vida de mãe, mulher, trabalhadora, dona de casa, que ainda gosta adora fazer exercicío e andar de bicicleta não é fácil...

(imagem da net)

3 comentários:

Rachel disse...

Há músicas que também têm esse efeito em mim, chego a chorar.

Sobre a tua questão, a Sara ficou sem vaga naquele agrupamento, agora só mudando para outro. MAs estou a tentar ver na Divisão Escolar da Câmara, porque o processo não foi bem conduzido. Se eu preenchi tudo é porque ela ía ser aceite, e de repente não há vaga...

Maria Sem Frio Nem Casa disse...

Pois não é nada fácil, não! Mas se fosse isto tinha alguma piada?? ;)

e não julgues que se deixasses de andar de bicicleta e de ires ao ginásio, tinhas tudo num brinquinho, porque não tinhas! "A gente" anda sempre a stressar, há SEMPRE coisas a fazer e quando parece que temos tudo controlado, surgem SEMPRE contratempos e mais coisas para fazer / resolver. Chama-se VIDA a esta confusão! ;)

Essa angústia tens de a considerar "normal" de vez em quando, e aceitar que a vida é mesmo assim: jamais teremos tudo feito! Stress é isso mesmo: Vida a mexer!

Beijinho e espero que a esta hora ou amanhã estejas a pedalar, ou seja a ser feliz, e se não for a pedalar, que seja a passar a ferro, MAS sem deixar de pedalar!

Flor de Leite disse...

Eu sentia a mesmíssima coisa na aulas de Balance. No meu ginásio os instrutores não permitiam que saíssemos mais cedo das aulas. Eram Les Mills e levavam aquilo à risca. Só em casos excecionais, e o instrutor de Balance chegou a comentar que as pessoas que tinham tendência para distúrbios depressivos estavam dispensadas da parte de relaxamento.
A mim custava-me mesmo muito o ficar parada (queria era mexer-me) e depois era o ficar a pensar em tudo e mais alguma coisa (nada de relaxar a mente)...

(Agora estou em mudanças e tive de deixar o ginásio, e isso também me custa MUITO. E ainda não arranjei uma bicicleta, apesar de no novo 'poiso' ter condições muito boas para andar: ciclovias e afins... Ando mesmo a ressacar da falta de exercício 7 dias/semana :S)