quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Chegar onde nunca tinha chegado

Podia estar a falar da carreira, de dinheiro, de viagens mas não... Estou apenas a referir-me ao que temos connosco durante toda a vida: o nosso corpo...
Nestas aulas dou conta do quanto progredi no espaço de um ano, sendo que apenas as faço uma vez por semana e que houve uma interrupção de um mês e meio nas férias e no pós férias...
E se se pode pensar que é algo 'leve' e que não custa a fazer, engane-se redondamente porque eu transpiro muito, e sempre transpirei, nestas aulas.
Claro que não saio de lá como das aulas mais agitadas mas quando começo a fazer pressão, a equilibrar-me e a manter certas posições durante alguns segundos, começo a sentir o corpo a trabalhar e o suor a escorrer-me pela cara e pelo pescoço...
Como sempre fui semi desengonçada, com pouca flexibilidade e agilidade, é quase com um certo encanto que constato que agora consigo chegar onde antes nunca tinha conseguido, nem mesmo em mais jovem...
Agora consigo, praticamente, chegar com as mãos aos pés tanto de pé (como nesta foto), como deitada, colocando o meu tronco praticamente na totalidade sobre as pernas e assim chegar aos pés com as mãos, e ainda 'puxá-los' e assim levantar as pernas, completamente esticadas...
Sinto-me mais ágil, menos "bronca" e muito mais equilibrada e flexível. Por vezes parece que estou a flutuar quando em qualquer outra altura pareceria que estaria aos trambolhões, completamente desiquilibrada...
Nem sempre é fácil porque devido ao meu tamanho não sou propriamente uma pena levezinha mas tenho conseguido grandes evoluções e gosto da sensação que isso provoca no meu corpo e em mim...
O querer aprender sempre mais e fazer melhor do que da última vez deixa-me confiante e sinto que cada vez gosto mais destes exercicíos para compensarem tudo o resto que faço que é super agitado e enérgico...
Com o trabalho de um ano, uma vez por semana, consigo 'esticar-me' como antes nunca consegui e isto é algo absolutamente extraordinário, pelo menos para mim... Ajuda-me também a tranquilizar e a ter uma noção melhor do meu corpo, daquilo que sou e daquilo que fui...
Atualmente gosto tanto de fazer exercicío que já nem penso se estou a trabalhar ou a moldar os glúteos, as pernas ou os braços. Isso tanto me faz porque o que eu quero é apenas 'exercitar-me'...
Se tivesse mais disponibilidade de tempo tenho a certeza de que faria muitas mais aulas e exercicíos, mas enfim, é o que se consegue arranjar e já não é nada mau... 
(imagem da net)

1 comentário:

Vera, a Loira disse...

Eu não tenho paciência nenhuma para as aulas mais paradas e tenho pena porque sei que me fazem falta, de qualquer forma ando muito em baixo de forma estes dias, tenho de recuperar as energias.