terça-feira, 9 de outubro de 2012

Há quem queira fazer Cycling para queimar calorias...

E eu compreendo isso muito bem porque há dois anos atrás também seria o que eu queria mas agora... agora nem penso nas calorias gastas.
Agora penso no que o Cycling me pode "proporcionar" e é claro que penso logo no meu ponto fraco: as subidas íngremes... Eu "quero" o Cycling para me dar força nas pernas e mais resistência nas subidas e é por isso que me agradam as aulas mais difíceis e com mais carga...
Por vezes, coloco as mãos sobre o 'guiador', baixo a cabeça, o suor escorre pinga sobre a toalha, sorrio e coloco toda a energia e força que tenho porque penso nas pedaladas e na bicicleta e imagino que vou na rua, no meio do mato qual bicho do mato...
É claro que o cycling não dá a experiência e o "pulmão" que treinar ao ar livre dá mas é algo de que gosto muito, principalmente quando se sobem os níveis de dificuldade.
Hoje o treino era a subir e ali estava eu em pé, ao ritmo da música, carga pesada e encharcada em suor...
E pronto, a meio da aula, lá vim embora, a muito custo, mesmo antes tendo corrido uns míseros 2 quilómetros e andado 1 em ritmo acelerado e com a passadeira bastante elevada.
Desde que treino a bicicleta por caminhos (muito) mais difíceis que parece que sinto a minha caixa toráxica a abrir. Por vezes, a intensidade é tanta que parece que consigo sentir os meus pulmões a trabalharem intensivamente, a aumentarem de tamanho, a dizerem que tenho que treinar sempre mais e mais...
É que me acontece este "fenómeno" estranho: no início dos treinos, se apanho subidas, fico quase com a língua de fora, e sinto os pulmões, e depois, passados vários quilómetros, o meu corpo 'acalma', como que a estabilizar, e sinto-me bem, sem estar cansada...
Será normal...


(imagem da net)

Sem comentários: