quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Não estou a gostar das (minhas) noites...

Não estou a gostar dos serões em que adormeço no sofá enquanto vejo um pouco de televisão.
Não gosto porque entretanto acordo já que só me sinto confortável a dormir numa cama e nesse espaço de tempo ocorrem-me pensamentos que pensava já estarem arrumados.
Nesse espaço de tempo, na noite, cai uma angústia que me faz querer voltar para onde morávamos antes da mudança para o Oeste. Mas isto ocorre só neste período de tempo, entre o adormecer do cansaço, o acordar e voltar a ir dormir na cama...
Naqueles minutos a minha cabeça 'agenda' o regresso, pensa e pede para ir lá no fim de semana seguinte, sinto a falta "daquilo" e dos meus pais com quem falo diariamente ao telefone.
Naqueles momentos noturnos os pensamentos são menos bons e cai uma tristeza inexplicável que me leva a pensar em medidas quase "extremas" como, por exemplo, "largar tudo" e regressar ao meu local de origem... Depois páro, penso em tudo novamente, recapitulo, penso principalmente no meu filho e não em mim. É o meu filho que prevalece e não os  meus "ataques de falta de aconchego e de mimo" por parte dos meus pais. O que prevalece é  o eu-mãe e não o eu-filha...
Depois deito-me e quando acordo de manhã passou tudo.
Volto à vida normal, penso nas maravilhas de ter tudo à mão sem confusões, de ter campo e praia tão perto de casa, de poder sair de casa de bicicleta e num instante chegar ao mar e a paisagens maravilhosas...
Mas por causa destas angústias noturnas, já fico ansiosa antes da sua chegada e nem o (imenso) exercicío me acalma ou dá sono antes que estes pensamentos (tótós) invadam a minha cabeça...
 
 
(imagem via Pinterest)

1 comentário:

Corre como uma menina disse...

"O que prevalece é o eu-mãe e não o eu-filha..." gostei muito dessa frase, que revela bem o amor maternal (não sei, ainda não sou mãe, mas imagino).
Durante os poucos meses que vivi "longe" também tinha essas angústias, curiosamente também antes da chegada do sono. Mas tens o apoio da nova família e o importante é seres feliz onde estás.

Beijinhos**