terça-feira, 17 de setembro de 2013

O ponto fraco

Há momentos em que me ocorrem ideias completamente disparatadas.
Deitada na maca da Fisioterapia, depois de muito transpirar a fazer os exercicíos para o braço e ombro, a 'levar' com a luz que está no teto nos olhos e que me lembra a sala de operações, algum gelo e algumas massagens terapêuticas depois, eis que me tocam no ombro, no sítio onde me dói mesmo muito, onde perco as forças... É ali mesmo que todo o meu corpo fraqueja quando é mexido, tocado, massajado, 'gelado' e por aí fora.
E assim sendo, já algo cansada, deu-me vontade de rir quando senti aquela dor. Exclamei que aquele era o meu ponto fraco e que se alguém soubesse, para me atacar na rua bastava colocar um dedo, ou dois, a carregar naquele sítio específico do meu ombro, ali onde os Fisioterapeutas tocam e sentem os parafusos que tenho dentro de mim...
E continuei a rir que nem uma maluquinha a imaginar-me a caminhar tranquilamente na rua e de repente, como nos filmes dos super heróis, aparecia um ou uma tresloucado(a) que não fazia mais nada a não ser carregar naquele preciso local onde os meus queridos e ricos parafusos estão instalados. Então eu seria a super heroína, quase indestrutível, que ficaria imediatamente vulnerável, com dores, sem se mexer a não ser para se atirar para o chão a contorcer, enquanto os maus da fita mexiam no ombro.
Aaaaaaaaahhhhhhhhhhh!!! O que vale é que ninguém sabe 'a olho nú', para além dos Fisioterapeutas, e do Ortopedista, onde carregar exatamente para provocar A Dor... Portanto, se for atacada por alguém disfarçado, só poderão ser "eles"...
Já vendo a cicatriz, talvez seja mais fácil às "pessoas normais" saberem onde me atingir...
:P

2 comentários:

Alexandra de Amorim disse...

Ahahah Só tu! :) Uma super heroína sobre duas rodas! ;)

THE GLITTER SIDE

Sara Santos disse...

Passaste ao lado de uma grande carreira de escritora!! Haja imaginação!! Beijinhos