terça-feira, 14 de janeiro de 2014

11 meses...

Faz hoje 11 meses que o meu pai partiu e não há nenhum dia em que não pense nele.
Há uns meses que não sonho com o meu pai mas lembro-me dele constantemente.
Por vezes penso como é possível isto ter(-me) acontecido e como é possível ter passado quase um ano desde a sua morte. É como se houvesse aqui uma linha do tempo que faz com que o tempo tenha outro ritmo e em que estes 11 meses tanto parecem uma eternidade como parecem ter passado depressa demais.
É uma dor diferente de tudo o que possa ter sentido. Não se explica, sente-se.
Achei sempre que um dia quando isto acontecesse que não ia aguentar, que não iria sobreviver a uma dor tão grande, mas afinal cá estou...
Por vezes não me reconheço na dureza que ganhei com a perda do meu pai e com outras perdas que decorreram no ano que passou.
Passou quase 1 ano e às vezes ainda acho e penso que não é verdade...

5 comentários:

Carla Isabel disse...

Beijinho doce.

Alexandra de Amorim disse...

Beijinho <3

Dulce disse...

É assim mesmo. Passaram vinte anos sobre a morte do meu irmão, e ele está presente no meu pensamento todos os dias, a propósito de tudo. Mas já não dói muito, é quase só saudade e alegria por tê-lo tido na minha vida.

Algures no Oeste disse...

DULCE: Um beijinho também para ti...

Beijinhos ALEXANDRA e CARLA.

:)

Maria Sem Frio Nem Casa disse...

Nós nem sabemos do que somos capazes de suportar e de ultrapassar.

Força. (tu tens!)