quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Fevereiro...

Fevereiro.
Foi em fevereiro que começámos a viver juntos debaixo do mesmo tecto, na altura ainda sem papéis, há onze anos atrás...
11 anos... Há 11 anos mas noutra casa, a primeira, depois houve a segunda casa e esta é, por assim dizer, a terceira casa...
Haveria tanto para dizer sobre isto mas... não me apetece...
Em fevereiro comemora-se o dia dos namorados. No dia 14 anda tudo a falar em S. Valentim e blá, blá, blá.
Se já enquanto namorava não ligava puto a este dia, com os anos a passarem ainda menos ligava.
E, definitivamente, desde o ano passado que este não é o dia dos namorados para mim. 14 de fevereiro será sempre o dia em que o meu pai partiu. Será sempre o dia em que sonhei com o meu pai nessa noite e em que a meio da manhã recebo a notícia de que se tinha ficado, tranquilamente na sua cama, depois de beber um copo de leite morno...
O meu marido apareceu à porta do meu gabinete no trabalho e nem precisou de abrir a boca. Soube imediatamente o que se tinha passado e só balbuciei: "não pode ser...", mas era... O meu pai tinha partido e eu lembro-me da roupa que vestia nesse dia. Que fui a Lisboa e que voltei ao Oeste no mesmo dia para ir buscar o meu filho da Escola.
Que no dia a seguir, o do funeral portanto, ainda nem eram oito e meia da manhã e estavam a tocar à campaínha da casa dos meus pais para dizer que a casa mortuária ainda estava fechada... E de que adiantava irmos para lá de madrugada? Isso não ia trazer o meu pai de volta.
Que me levantei e que fomos para lá. Que o funeral foi a meio da manhã. Que apareceram sem eu esperar, colegas e a minha chefe do meu trabalho do Oeste...
Fecho os olhos e lembro-me de tudo, e de todos, os que estiveram e os que não estiveram.
Mas por vezes ainda continuo a achar que o meu pai está vivo e quando me lembro que não está, dou pontapés imaginários ainda mais fortes nas aulas de Body Combat e pedalo frenéticamente no Cycling...
Fevereiro é isto. O mês do Amor e o mês da Morte. Pelo menos para mim. É também o mês da Vida porque tenho 99% de certezas de que foi neste mês que o meu filho foi concebido...
Amor.
Morte.
Vida.
E a vida é isto mesmo... Tudo isto e muito mais...