quarta-feira, 2 de abril de 2014

Ando só a pensar que...

Ando só a pensar que nesta sexta-feira, dia 4 de abril, faz um ano que caí da bicicleta e isso é assim uma espécie de marco na minha vida: o antes e o depois da queda da bicicleta.
Sim, porque se tivesse sido uma queda banal e inconsequente não se teria tornado certamente num marco para a minha vida...
Nesse dia, mas há um ano atrás, andava cheia de dúvidas relativamente às aulas e horários no ginásio - vejam só que problema... - e tinha feito uma aula de Body Balance à hora de almoço...
Ao fim do dia, que tinha sido de chuva e entretanto começou a ter 'abertas', cheguei a casa do trabalho e com dúvidas entre ir pseudo correr ou ir pedalar, optei por ir dar uma volta de bicicleta.
Ironia das ironias, nem dois quilómetros depois, tão perto de casa, percebo que perdi o controlo da bicicleta numa descida perigosa e escorregadia, no alcatrão. Foram segundos. Só pensei em resguardar-me antes que caísse por uma espécie de ravina abaixo.
A bicicleta foi para um lado e a memória que tenho é que voei entre o largar a bicicleta e 'finalmente' me estatelar no chão tendo ainda 'rastejado' com o queixo no alcatrão e aqui pensei que tinha partido dentes, saltou a parte de cima do capacete, o joelho todo arranhado e a roupa rasgada e por fim o amparar da queda com o braço e o ombro que deu no que deu... Um ombro partido em vários sítios de forma tão complicada que nenhum médico queria assumir a responsabilidade de me operar...
Os bombeiros, o não conseguir levantar-me, o esperar uma semana pela operação... Foi tudo tão doloroso e moroso que não me parece que algum dia me esqueça disto tudo. E mesmo que quisesse não podia porque tenho uma placa, parafusos e um braço que não se movimenta na totalidade...
Este ano no mesmo dia está previsto um dia completamente diferente, pelo menos assim o espero...
Nunca sabemos o que a vida nos reserva, é mesmo aquela coisa de que ao virar da esquina pode acontecer algo.
A pedalar há algum tempo por sítios tão complicados, fui cair tão perto de casa e de forma tão... "estúpida"...
E a minha vida depois disto nunca mais foi a mesma por muito que esteja "tudo bem"...

Sem comentários: