segunda-feira, 28 de abril de 2014

Post semi tétrico...

Ontem, a caminho da minha corrida, tive que passar pelo cemitério onde está o meu pai.
Já lá tinha passado antes mas ontem foi a primeira vez que senti vontade de... ir lá... Foi muito estranho, ia no carro, para lá, e assolaram-me pensamentos para ir ao cemitério. Passei, olhei e segui...
À vinda, o mesmo sentimento... Estava mesmo com vontade de ir ao cemitério e 'conversar' com o meu pai... Nunca tinha sentido isto antes, vontade de ir a um cemitério... Vontade de "falar" com o meu pai no sítio onde está... Estive mesmo quase-quase a parar o carro e a ir lá mas... não fui... Quem sabe para a próxima...
Passou um ano e dois meses e acho que neste fim-de-semana, em que estive em casa dos meus pais, sonhei novamente com o meu pai. Senti-o no sonho omnipresente, que estava perto mas que na realidade não está, como se estivesse apenas presente, só isso...
Eu sei que isto é repetitivo e é um cliché mas penso muitas vezes no meu pai, nas coisas de que gostava, no que dizia da vida e das pessoas. Às vezes sinto como se fosse o meu pai a sentir, estranho isto, não é, mas é o que sinto... É como se me passasse pela cabeça o que passaria na cabeça do meu pai perante determinadas pessoas e situações.
Não consigo explicar isto doutra forma...
Muitas vezes ainda imagino que o meu pai anda por lá, estando eu por cá. Mas não é verdade... Nunca mais o verei apesar de o ver muitas vezes em sonhos...
Lembro-me que o meu pai também sonhava com pessoas mortas.
Coitadinho do meu pai. E é isso. Antes que desate a chorar para aqui sentada no trabalho...
Doem-me as pernas mas vou ao ginásio... Preciso...

Sem comentários: