segunda-feira, 23 de junho de 2014

Havia tanto para dizer

A sério que tinha muito para dizer ou escrever mas como nem sei bem por onde começar, acho que nem vou escrever nada de especial.
O que teria para escrever seria proporcional à agitação do fim-de-semana mas incindindo sobre os meus pensamentos e 'conclusões' em relação ao sucedido...
Foram dois dias cheios de atividades das atividades do filhote e das minhas atividades também. É verdade, participei em mais uma meia maratona e apetecia-me entrar aqui em dissertações sobre a prova e as minhas prestações, como fazem os grandes atletas, mas a esses toda a gente lê e dá importância, eu sou apenas uma ranhosa à beira dos 40 anos que se mete em maluqueiras...
Se calhar começo mesmo por aí, pela (meia) maratona em que participei. Deixa cá ver, quando a prova começou juro que por milésimos de segundo me passou pela cabeça deixar aquele pelotão de gente e pedalar para casa... Mas já que (quase) tudo e todos contavam que eu participasse, deixei-me ir na onda.
Talvez o meu corpo tenha algum problema, ou não treine de forma correta, porque na verdade parece que não consigo ser muito rápida a pedalar.
Talvez eu seja muito grande e 'pesada' para este desporto.
Talvez tenha começado a pedalar já velha, com 36 anos, tendo uma interrupção de quase seis meses por causa da queda que tive, e agora também não vou para nova, daqui a um mês chegam os 40 (anos)...
Talvez não tenha espírito de competição e força suficientes para passar aquela gente toda mas sinto sempre que sou ultrapassada por tudo e todos, principalmente no início das provas. Ou então é porque às provas só vão pessoas mesmo bem treinadas e "boas", não sei.
Só sei que sou disciplinada, gosto de pedalar, vou ao ginásio, pedalo na rua quando posso o que é muito pouco e depois vai-se a ver, quando começo uma prova não só sou lenta como me sinto a arfar e quase cansada. Parece que o cansaço só me larga quando passaram já uns 20 quilómetros e aquela adrenalina do início se desvaneceu um pouco. Como é possível que por volta dos 20 quilómetros eu deixe de me sentir cansada e nervosa, quando quase todos já me passaram à frente...? Não entendo isto. Às tantas tenho pensamentos menos abonatórios relativamente ao "meu" ginásio, onde parece que ninguém me entende ou apoia nos treinos para melhorar na bicicleta... Começo a pôr em causa o Cycling que é um treino mais aeróbico e disso eu não preciso assim tanto. Preciso de força nas canetas, rotação, velocidade e isso ganha-se a... pedalar na rua... E com treinos mais localizados e não tanto aeróbicos.
Lá fui eu, sempre na brincadeira mas as pessoas que encontrei a pedalar próximas de mim parecem todas muito sérias e enjoadas, parece que levam aquilo muito a sério e não descansam enquanto não me passam à frente depois de eu ter passado por elas, no caso, por eles - homens. O meu ponto forte são os estradões e aí ganho ritmo e velocidade e quando me apanho nesses sítios, ala que se faz tarde e consigo ultrapassar várias pessoas - homens. Depois vem uma descida técnica ou uma subida mais íngreme e lá me passam todos outra vez, muito sérios e enjoados, haja paciência! Afinal, uma pessoa vive é do trabalho, não é de provas ou do BTT!!!
Entretanto desatou a chover e ainda apanhei uma valente molha.
Chego à meta com a sensação de que podia e que devia ter feito melhor mas as dores no ombro e no braço não me largaram (isto dá outro post...) e sinto-me também... lenta... Auto critico-me e entro numa espécie de auto punição e nem sei porquê... Acho-me gorda nas ancas e nos glúteos nas fotos que me tiraram, quase todas em figurinhas tristes com a bicicleta à mão. Penso que devia mudar de desporto ou de 'hobbie', que devia ter ficado em casa a coser meias.
Mas depois gosto tanto de pedalar e do que se segue no final duma prova: o almoço e a companhia da família e dos amigos...
Ter o meu marido e o filhote a irem comigo tão cedo para a prova, o maridão a carregar e a descarregar a bicicleta do carro, estarem os dois a apoiar-me pelo meio, a tirarem-me fotos e a esperarem por mim na meta debaixo da chuva intensa, isto é mesmo o melhor prémio que se pode ter, chegar e ver a cara de ambos à minha espera...
Fiquei a meio da tabela feminina, não fui a última, não fui das primeiras.
Queria ser mais rápida e não entendo por que não o consigo ser... Ou queria não dar importância nenhuma a estes factores e ir às provas só porque me apetece e para me divertir...

Sem comentários: