sexta-feira, 11 de julho de 2014

O tamanho das coisas e das pessoas ou o país das pequenas coisas...

Como é possível um país evoluir quando não está preparado para aceitar as diferenças nos outros...
A maioria das pessoas não está habituada a lidar com a diferença, não aceita bem o que sai da média, como os deficientes, os escanzelados, os obesos, os grandes, os pequenos, os cabeludos, os carecas, os desempregados, os divorciados, os viúvos, os gays, as lésbicas, as raças e credos diferentes...
Como é possível ser mulher em Portugal, ser-se tão grande e ainda por cima usar saltos! Francamente, que afronta!
Como é possível ter a idade que tenho e continuar a ouvir bocas manhosas sobre... a minha altura...
Já não sou uma garota, uma adolescente que ficava de rastos quando os rapazes mandavam bocas sobre a minha altura. Nessa altura era algo devastador mas agora, à beira dos 40 anos, casada e mãe de um filho, estou muito pouco tolerante!
Fico num misto de "ah, vou-te bater" ou de perguntar se aquela pessoa me conhece de algum lado para estar a tecer comentários sobre o meu tamanho e se não tem mais nada para fazer ou assim... Mas depois fico calada, como que a engolir em seco e dentro de mim prolifera a vontade de agredir aquela pessoa...
País tão pequenino o meu... Onde em 98% dos locais públicos tenho que me baixar para me conseguir ver ao espelho...
Cada vez tenho mais vontade de me pisgar daqui para fora para onde todos sejam grandes, objetivos, pragmáticos e pontuais como eu. Sinto que aqui andamos à roda dos assuntos, não nos focamos no que é importante, perdemos imenso tempo com conversas e reuniões da treta em que 90% do tempo se fala de tudo menos do que é preciso resolver e tratar!
Farta disto...

2 comentários:

maria joao oliveira disse...

Penso que com a idade ficamos com menos paciência para parvoíces, essas todas que falaste. Traz-nos por outro lado mais tolerância, também para os intolerantes...às vezes.
Tendo a capacidade de auto-critica e a vontade de melhorar és de certezinha muito mais à frente que essa malta parva!

Há uns meses ia a passear com marido e o bébé no carrinho e ouvi bocas ao traseiro empinado, pode?!
"Os cães ladram e a caravana passa..."
Beijinhos

A Loira disse...

As pessoas são muito pequeninas. E não falo de altura.