terça-feira, 12 de agosto de 2014

Pensando melhor

Estive a pensar melhor sobre a minha prestação na prova do fim de semana (ver post abaixo porque estou a escrever no telemóvel e não me dá jeito colocar links). Concluí que de facto a minha prestação não foi das melhores e que não entendo isso muito bem. Afinal, faço exercício regularmente e pedalo algumas vezes. Sei que me enervo muito nas provas e fico ansiosa pois sem quase esforço algum, vejo no pulsómetro que a pulsação está muito mais alta do que era suposto...
Fico desmoralizada, como se acreditasse muito pouco em mim...
A sério que qualquer dia contrato alguém, um treinador, um preparador, alguém que me ajude a entender a minha forma física e as minhas prestações nas provas. Parece que não evoluo, que bloqueio, que sou estúpida até à 15a casa...
Isto é tão parvo que termino uma prova, supostamente de rastos, e sinto-me na maior, nada cansada, e ainda vou a pedalar para casa!!! Que raios se passa durante as provas?! Parece que me lançaram um feitiço...
Caio em mim e constato que faço parte do grupo minoritário de mulheres que fizeram a prova até porque das inscritas, já tão poucas, ainda faltaram outras tantas...
Que não fui a última mas também não fui das primeiras.
Que sou afável, boa desportista, educada, correta e que, acima de tudo, não faço batota nem atalho...

1 comentário:

Alexandra A. disse...

"Ver post abaixo porque estou a escrever no telemóvel e não me dá jeito colocar links" é do melhor! É assim mesmo, há que ser prática ;)))

Eu acho que ficas mesmo condicionada por esse nervosismo todo. E depois acabas por descontrair, mas não deste tudo por tudo devido ao nervosismo, e sobra-te energia. Nãos sei se isto faz sentido, mas é o que me parece.

Se continuas a ir a provas é porque algo te diz para ires! No fundo, aquela velha máxima de que o importante é participar talvez prevaleça. E só a coragem para participares é de enaltecer :)