segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Não sei bem por onde começar ou acabar

As ideias e os pensamentos fervilham na minha cabeça mas nem sei bem por onde pegar ou começar. Tudo depende das perspetivas e eu olhando para os meus 'dramalhões' posso vê-los de acordo com a perspetiva que eu lhes der...
Digamos que fui a uma maratona de BTT no fim de semana e que no dia anterior e no próprio dia também tive outras maratonas, de caráter doméstico, digamos assim... Fartei-me de cozinhar para não ter que o fazer durante a semana, perdi a conta à roupa que a máquina lavou e que eu estendi e apanhei, dobrei e que agora espera que seja passada a ferro...
Pelo meio ganhei uma bela constipação pelo que fui para a prova assim com o nariz a modos que para o entupido, mas lá fui... E para não variar fico com a sensação de que, por muito que me esforce, nas provas parece sempre que me canso sempre o triplo ou o quádruplo, que todos me passam à frente, até senhores com vinte e tal anos a mais do que eu... Por vezes juro que não entendo o meu corpo e as minhas prestações nas provas... Gosto de pedalar, esforço-me, dedico-me, ando quando posso, vou ao ginásio, e por isso não percebo que raios se passa comigo para num domingo de manhã pedalar de forma livre para aí uns 70 kms e sentir-me bela e airosa com um andamento bom e numa prova pedalar metade disso e parecer que o mundo está prestes a acabar com uma média de velocidade muito mais baixa...
Ou só vão a provas pessoas ultra prós e ultra bem preparadas, que os outros não devem estar para se chatear, ou então eu sou mesmo parva por me meter nestas coisas... Constatei que, em relação a anos anteriores, o número de mulheres presentes reduziu drasticamente e qualquer dia eu própria também deixo de meter os pés, ou os pedais, nestas coisas... Enervo-me sempre e pareço tão mais cansada do que o habitual que talvez o melhor seja ficar em casa a cozinhar e a coser meias... Aliás, o pensamento presente quando me levantei de manhã foi o de querer ficar em casa...
No fim é divertido realmente mas quando vejo as classificações parece que tudo perde a graça. Por que eu sei que vão reparar nisso, por que eu sei que as pessoas parecem esperar muito e depois sai muito pouco, por que eu sei que sou capaz de mais e melhor...
Nem o facto de a meio da prova uma senhora me dizer que ela seria incapaz de fazer aquilo e que só por ali estar eu já era uma valente me animou, mesmo sabendo que tinha toda a razão...
Também sei que o importante é ir e participar, que cada um faz o que pode mas estou mesmo a ficar saturada destas coisas...

1 comentário:

Gaja Maria disse...

A competição é como o nome indica, uma competição onde parece que todos querem ganhar e dão o que podem e o que não podem. Mas podes crer que o facto de participares já é um grande feito e depois há dias em que estamos melhor e outros nem por isso. Eu gosto do sabor da competição, mas agora gosto muito mais de me divertir sem essa pressão. Mas não desistas, faz apenas o que te dá prazer. Beijocas