sábado, 22 de novembro de 2014

A ranger

Ontem não sei o que se passava. Não me sentia muito animada mas, ainda assim, rumei ao ginásio, afinal, não punha lá os pés há uma semana e já se sabe que o meu corpo molda-se bem à preguiça e que engorda só de respirar o cheiro a comida...
Fiz duas aulas mas numa delas, que não o cycling, os braços e os ombros tiveram que dar ao litro, o que é muito bom. Eu é que ontem tinha mais dores do que é usual no meu braço aparafusado. Não sei se foi de não me ter exercitado durante uma semana ou se é do tempo frio ter chegado, mas a verdade é que ontem, nalguns movimentos, até ouvi, e senti, o braço e o ombro a estalarem e que dores que aquilo me deu... Noutros exercícios tive mesmo que deixar de fazer os movimentos pois as dores tornaram-se insuportáveis e eu não sou de desistir...
E assim naqueles momentos, senti-me quase deficiente, inútil e... velha... Pensei para onde tinha ido a minha juventude, os meus 20 anos, para onde tinha ido a agilidade do meu braço, o que tinha sido feito de mim...
Prossegui e segui para o cycling mas também ali a aula estava quase cheia e ainda que tivesse a senha n.° 1, como vinha doutra aula, era praticamente a última a sentar-me numa bicicleta em que tudo estava solto e em que não conseguia aparafusar as peças soltas. Por instantes senti-me enfartada daqueles contratempos e apeteceu-me sair dali para fora, ir tomar banho e ir para casa deixando aquele aglomerado de gente a pedalar no mesmo sítio e que só para aí 2% é que o fazem na rua. Contive-me e fiquei. Já que ninguém me ajudava pedi ajuda ao instrutor, e eu só peço ajuda quase só mesmo quando estou a "morrer "... E pronto, bicicleta arranjada, e lá estava eu a pedalar na fila de trás como se fosse uma parva qualquer das pedaladas. Por fim, e mais uma vez, fiz parte da minoria que pedalou sempre no ritmo, fosse em pé ou sentada. Às tantas o professor faz-me sinal como se aquilo fosse facílimo para mim, e na verdade era/foi, mas encolhi os ombros e dei a entender que não estava a ser assim tão fácil...

Sem comentários: