terça-feira, 4 de novembro de 2014

Olhei-o...

Olhei-o num instante de segundo enquanto entrávamos no carro para irmos para a Escola.
Não durou mais do que uns segundos mas achei-o crescido, com um olhar vivo, e a mudar "as feições"... Num instante de segundo vi-me a mim no meu filho e não tanto o pai como tem sido desde que nasceu.
Desde que nasceu que é uma cópia do pai mas hoje, aquele olhar era 'meu', aquela tez branca é minha, e por segundos aquela expressão na cara era... 'minha'...
Acho que foi a primeira vez que achei o meu filho parecido comigo. Foram precisos oito anos para que se começasse a parecer comigo...
Olhei-o como um menino que está a ficar crescido e... giro... giro naquele casaco azul escuro, para a chuva...
Aquele rapaz é meu, é o meu maior tesouro e não há nada que possa mudar isso...
É o 'meu' rapazinho que eu cá sempre quis ser mãe de um menino... Escorpião...

Sem comentários: