domingo, 30 de novembro de 2014

Quando estou triste, pedalo mais devagar

É um facto. Quando as coisas não estão bem, pedalo mais devagar. Para além disso, era suposto estar um dia solarengo e afinal chuviscou, o que agravou ainda mais o estado já não muito bom do piso enlameado. Isto também faz pedalar mais devagar mas os meus pensamentos e as minhas divagações mentais, afetam o meu rendimento ciclístico...
Adoro ir sozinha, levar com a chuva, ouvir os pneus na terra e pedalar, muito...
Encontrei poucas pessoas a pedalar e nenhuma era do sexo feminino. Os homens pedalam em grupos e é raro encontrar algum sozinho a pedalar. E por uma questão de cortesia cumprimentamo-nos quando passamos uns pelos outros.
Nos meus pensamentos tristes que tornam a minha pedalada algo melancólica, penso que determinada parte da minha vida é, e só pode ser, um erro de casting. Tudo junto é demasiado pesado para uma, ou duas, pessoa (s) só, logo, só pode ser um equívoco, um reality show que desconheço.
Prossigo na pedalada molhada e apetece-me ir mais longe mas estou sozinha e chove com alguma intensidade. Regresso para casa onde está o meu aconchego. Pai e filho esperavam por mim e o que seria de mim se ninguém esperasse por mim, em casa...
Foram 51 kms muito chuvosos e cheios de lama. A minha alma rejuvenesceu...

3 comentários:

CANTINHO DA PESCA disse...

Nem sei como aqui vim parar pois isto nada tem a ver com pesca ,mas depois de ler um pouco o que por aqui vai sendo escrito vou procurar estar um pouco mais atento pois as palavras agradaram-me.
Cumprimentos

Gaja Maria disse...

Eu quando estou triste gosto de ir pedalar, seja na rua ou no ginásio, passa-me logo a tristeza :)

Algures no Oeste disse...

CANTINHO DA PESCA: Obrigada, bem vindo :-)

GAJA MARIA: Sim, é verdade, comigo acontece o mesmo. É só que há dias mais 'enfadonhos' do que outros ;-)
Beijinhos.