quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Por acaso, não é que é verdade...

Realmente já não penso muito em prendas "materiais", dou agora conta disso... Sempre pensei em prendas e mais prendas como objetos e bens semi materiais...
Agora dou por mim a pensar que gostava que um dos presentes fosse que o meu pai estivesse presente, entre outras pessoas tais como a mãe e a avó de marido, portanto, a minha sogra e a bisavó do meu filho...
Assim de repente também queria e gostava que certas coisas se resolvessem, isso é que era uma bela duma prenda. Já não quero saber de chocolates ou jóias.
Bom, se me derem um carro novo não direi que não :P
No fundo, sinto mesmo a falta do meu pai, ainda que não ligasse nem gostasse do Natal. Já se passaram quase 2 anos e ainda que comece a assimilar melhor a sua partida, muitas vezes parece-me que foi tudo rápido demais...