segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Sinceramente...

Sinceramente, eu por mim adormecia agora e acordava em janeiro... Estou a exagerar um pouco mas sinto-me cansada e a precisar de descansar, de férias, de sei lá. Estou até sem pachorra para o Natal e para o que isso implica e não fosse ser mãe, acho quem nem a árvore de Natal fazia...
Vale-me pensar que terei férias no final do mês mas ainda tenho que pensar e organizar as coisas, se o Natal vai ser lá ou cá... Por um lado, queria ir para lá, porque estou de férias, porque terei tempo, porque queria levar o filhote a passear a certos sítios, por outro, este Oeste parece ter mel e só penso que aqui há mais coisas para ver e passear, incluindo voltitas de bicicleta, confesso... Se formos para lá não vai dar para levar as bicicletas atrás... Posso sempre correr mas... não é a mesma coisa. É só porque o filhote vai e está tão poucas vezes lá que eu gostava de estar lá dois ou três dias para ele ir conhecendo e ficando com os sítios na memória, e depois passamos todo o tempo por cá, no Oeste... Não sei mesmo o que fazer...
E depois as famosas saudades, não é... Tenho saudades dos Natais em que tínhamos a casa cheia de gente... Parte dessas pessoas já partiram, sinto essencialmente falta do meu pai. Sinto falta da mesa grande com toalhas coloridas e decoração a combinar. Sinto falta do burburinho e da confusão em que a sala ficava 'desalinhada' mas estava quente por ter tanta gente à volta da mesa, nos sofás, a comer, a beber, a conversar... Muitas vezes chateava-me porque a casa ficava desarrumada e porque a cozinha estava inundada de loiças e comidas, tachos no fogão, chão sujo aqui e acolá. E hoje tenho saudades disso tudo e, principalmente, tenho pena de na altura não ter 'apreciado' tudo devidamente...
Sinto falta disso tudo. Parece que tudo se perdeu lá atrás e eu quero tanto recuperar isso, apesar de não poder nunca recuperar quem já partiu...



1 comentário:

Carla Isabel disse...

Querida amiga, aprecia o que tens.
QUre faças o Natal no Oeste ou em Lisboa, fá-lo com alma. Vive-o. O teu filho vai adorar.

Beijinho