domingo, 25 de janeiro de 2015

Fazer o possível no quase impossível

Estes dias têm sido complicados para me exercitar. Com o pai fora durante grande parte do fim de semana, não há quem fique com o filhote pelo que assim não posso desatar a pedalar. Também não fui ao ginásio. Fomos antes os dois, eu e filhote, ao shopping onde acabámos por comer pizza. E se ao invés de perder calorias a exercitar-me, as ganhei ao ingerir uma grande e deliciosa pizza, a verdade é que me soube muito bem, o comer porcarias, o não ir ao ginásio e, principalmente, a companhia do filhote... Está mesmo a ficar crescido e faz muita companhia. Conversa imenso, é atento e é o meu amor imenso. Estes tempos em que estamos só os dois fazem -me aperceber de como o tempo passou rápido...
Bom, hoje também ficámos sozinhos e de tarde filhote teve uma festa de aniversário. Deixei-o na festa e de volta a casa deveria ter ido passar a ferro. Pois, deveria... Devia mas na verdade não o fiz... Peguei na bicicleta e rumei a uma volta pequena e ao Sol. Era tudo o que me estava a apetecer, pedalar e apanhar Sol mas sei que ao fazê-lo numa tarde de domingo parecia uma ET. Apenas fiz render o tempo que tinha com o filhote na festinha e marido a trabalhar fora. Olhei sempre para o relógio e sabia que a volta não poderia ser muito grande.
Foram 30 kms com muitos sprints, sentia-me cheia de força pelo que me lembrei que parece que o facto de não ter ido ao ginásio na sexta-feira ao serão, em que costumo fazer duas aulas, me ajudou a estar melhor na bike. Estranho corpo o meu...
Enfim, cheguei a casa, ainda fiz o jantar e fui buscar o filhote muito mais bem disposta...

1 comentário:

Gaja Maria disse...

O descanso também faz parte do treino. :)