quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

Algures freak show

Com o regresso ao ginásio à hora de almoço, regressei também às aulas que era usual fazer. Pois que a aula de hoje não a fazia há séculos mas, ainda assim, achei que as minhas prestações não estavam mázitas de todo.
O que me pesou e custou, e que não me saía da cabeça, é que lá está, o meu braço e ombro não funcionam na totalidade... E ainda que me dissessem para estar à vontade e não forçar muito essa zona nalguns movimentos em que trabalhavam mais, na minha cabeça pairavam filmes, e nenhum era cómico ou dava vontade de rir. Na minha cabeça, os filmes que pairavam eram de quase drama, um drama tão grande em que eu só pensava a que ponto tinha chegado para ter um braço e um ombro que não funcionam bem como sempre funcionaram. Bateu, não a loucura, mas sim a tristeza, a angústia, o drama, o horror, a vontade de fugir, o sentimento de que tenho algo a menos...
E ainda que a aula pareça leve mas faça transpirar e que ajude a tonificar e a ganhar força, de repente achei que não estava ali a fazer nada, eu e o meu braço limitado...
E bem sei que existem problemas e situações bem piores mas ali, naquele momento, aquele era o meu dramalhão mexicano de me sentir inadaptada, quase deficiente...
Algures e o seu freak show mental.
Algures, cura-te...

Imagem de:"FitSugar Lower Body Yoga Sequence"


4 comentários:

A Loira disse...

Acho que é muito normal ficares assustada com alguns desses movimentos, ou com a falta deles, é um trauma difícil de superar para quem nunca teve nenhuma limitação física.

Sol disse...

Não deixes que esses pensamentos tomem conta de ti. Quando eles aparecerem manda-os dar uma curva e mostra-lhes que és muito forte :)
Beijinho

Gaja Maria disse...

Deves ter cuidado com esse braço e não o esforçar muito senão estás a fazer mal em vez de bem. Cuida-te :)

Algures no Oeste disse...

Obrigada pelos vossos comentários e compreensão, meninas...
Um beijinho às três :-)