quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

E assim de repente

E assim de repente o teste do filhote foi alterado pelo que não foi hoje, ou seja, afinal ontem pude ir correr. Contudo, tinha feito análises de manhã pelo que realmente não estava com muita garra ou força. Comparativamente com as outras corridas, esta foi a mais longa, foi o tempo em que corri mais tempo de seguida mas em que 'rendeu' menos quilómetros. 
A determinada altura até parece que a caixa torácica ia rebentar, ou explodir, ou que os pulmões e o coração me iam saltar da boca. Senti também uma pressão junto à clavícula, do lado esquerdo. Pensei se seria melhor parar mas continuei. E continuei a achar que ia cair para o chão a qualquer momento.
De qualquer forma, ia eu numa subida, a correr devagarinho, preocupada com quilómetros e mé(r)dias quando passa por mim um senhor de muletas e sem parte de uma das pernas. Caramba. Aquilo sim, era um problema. O que eram distâncias e mé(r)dias perante aquele problema.
Continuei na subida e mais à frente deparo-me com outra pessoa numa cadeira de rodas. E aí interiorizei que, de facto, os meus dramas com tempos, médias e quilómetros eram uma grandessíssima mé(r)dia!!! Parecia que a vida me estava a colocar bem diante dos meus olhos o que era um problema! De repente senti que era uma privilegiada por poder correr, por ter pernas, por andar, por não ter que recorrer a muletas ou a cadeiras de rodas para me deslocar.
Lembrei-me dos tempos em que tive o meu braço sem funcionar e, de facto, todo o nosso corpo nos faz falta. Só damos conta disso quando uma das suas 'peças' não funciona...


Dados do Strava.

Dados do Nike Running.
Uau, parece que agora estou um bocadinho acima da média de kms que correm as mulheres entre os 40 e os 49 anos...

3 comentários:

Raquel Alabaça disse...

É bem verdade!
Bjs

Nainho disse...

Esquece os numeros.. leva um tlm velho.. vai correr porque sim...

esse lado de querer ver tudo só ta faz mal.. ficas impedida de valorizar o que fizeste.. apenas ficas focada no resultado...
Se livre dos numeros..

Algures no Oeste disse...

NAINHO: É verdade, as pessoas que conheço que correm muito bem e há muitos anos não querem saber de números nem de aplicações...!
O melhor mesmo que há a fazer é uma pessoa não ligar aos números. Vou... tentar...