terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

Nem de propósito...

Uma amiga falou-me num livro, fui ver o 'resumo' e eis que a dada altura encontro esta parte no Excerto que disponibilizaram on line:
"Passar pela experiência de fazer o luto por um parceiro ou um familiar, por exemplo, leva a que nos desapeguemos de quem quer que tenhamos perdido. A dor prepara-nos para, com o tempo, nos deixarmos de agarrar ao passado e para nos relacionarmos com pessoas novas que nos oferecem semelhanças relativamente ao que perdemos. Não iremos recuperar uma mãe, mas poderemos vivenciar momentos maternais com outras pessoas que nos nutrem. Deste modo, não nos sentimos sós e isolados, mas antes reconciliados com a realidade e de novo conectados com outros seres humanos. De facto, a reconciliação é a faculdade de aceitar uma aproximação. Este é o sim do compromisso saudável." de "As Cinco Coisas que Não Podemos Mudar" por David Richo.
Não conhecia o autor, nem o livro mas estas palavras caem em mim na altura certa que é a altura de pensar que não tarda nada vem aí o dia dos Namorados mas que para mim é o dia em que se completam dois anos sobre a partida do meu pai e que "tal não é possível" e "que não pode ser"... mas é... foi... e eu sinto que ainda não me desapeguei...

Sem comentários: