quarta-feira, 1 de abril de 2015

Abril...

Poderia dizer "Abril, águas mil" mas não é isso que me apetece escrever...
O mês de abril lembra-me diversas coisas: foi o mês em que nos casámos com papéis depois de vivermos juntos durante cerca de três anos. 
Foi também o mês em que caí da bicicleta e cujas consequências foram assim do mais marcante que me aconteceu na vida, nomeadamente a operação, a recuperação, a fisioterapia, as mazelas físicas que ficaram (a placa, os parafusos e a cicatriz...), as mazelas psicológicas e outras coisas mais, até mesmo constatar quem eram os amigos, ou não...
Faz neste sábado dois anos que caí e não paro de pensar nisso... Para além disso, continuo cheia de dores entre as costas, o pescoço e o braço, e isso tem-me impedido de ir dar umas pequenas voltas de bicicleta ao fim do dia, ou de vir a pedalar para o trabalho, e até correr ou ir ao ginásio...
Sinto-me... a arrastar... Que tristeza... Que dores. Eu nunca tenho dores...



1 comentário:

Sol disse...

Estas mudanças de tempo não ajudam nada mas não tarda e estás de volta a tudo o que gostas. Beijinhos