terça-feira, 26 de maio de 2015

Inquietações

Acordei sem saber o que vestir ou calçar. Nesta altura do ano é-me (muito) difícil largar as botas e voltar às sandálias, ao voltar a ter os pés de fora. Por causa disso, no fim de semana dei um jeito nos meus próprios pés, como se isso fosse possível, no sentido de colocar creme e pintar as unhas. Eles (os meus pés) já são tão feios que se não forem "ajeitados", ficam dignos de um filme de terror...
Durante o banho matutava no que havia de vestir e com tantas blusas, saias e calças, só me ocorria uma cor: o preto. Adoro a cor preta e, por mim, vestia-me todos os dias de preto ou a combinar preto com qualquer coisa...
Vesti uma blusa de um azulão intenso mas depois parece que não gostei de me ver nela, comprada nos saldos do ano passado, e despi-a. Fitei o guarda roupa e a minha cabeça parecia vazia de algo sem importância nenhuma mas que me faria atrasar logo de manhã.
Preto... Black in black...
Puxei de uma blusa preta, vesti as calças e calcei as sandálias que fui buscar, na hora, ao sítio onde estavam arrumadas desde o Verão passado... Tudo em preto... Sinto-me bem e segura assim. Gosto da 'caída' das calças e da blusa nas calças, e do andar que as sandálias com um pouco de salto me dão, ainda que tenha a sensação de que bato com a cabeça no céu... Ser grande tem destas coisas...
Tenho frio nos braços despidos, e agora, o que visto...?
Puxo o blusão de ganga que permite ficar justo e 'cintado' ao corpo, e eu gosto assim. E assim fiquei, de preto e de ganga...
Na verdade, o ânimo, algo cá muito de dentro, sem razão especial aparente, está também numa espécie de preto...
O saco do ginásio permanece no carro. Não sei ainda se irei, ou não, ao ginásio à hora de almoço. Na verdade, não sei quase nada a esta hora nem tampouco o que escrever.
Adiante... 

4 comentários:

Sol disse...

Estou cansada do preto. Ando entre pretos, brancos, beje, castanhos, cinzas e azul. Mas cada vez que vou comprar qualquer coisa só vejo preto e branco. As outras cores parece que desapareceram. Encontro outros coloridos que eu não devo usar, não por mim, mas para não fazer a minha mãe sofrer mais. Também gosto de preto mas só de quando em vez. Estou farta de preto e de preto/branco.

Algures no Oeste disse...

SOL: Este vício do preto vem de quando ainda não tinha emagrecido, achava que disfarçava o peso a mais... E ainda que a minha mãe ande de preto e eu não goste de a ver assim, em mim, adoro...
:O
Beijinhos.

A Loira disse...

Eu adoro o preto, mas só no inverno, assim que o sol começa a aparecer toda eu sou cor.

Gaja Maria disse...

Também gosto de preto.
Já tirei as meias, já ando de sandálias e de vestidos, de mangas curtas e até cavas, a sala onde trabalho é muito quente. Agora as marcas do fato de ciclismo, dos óculos e capacete, os pés brancos como cal por causa das meias e as cicatrizes dos arranhões é que não são bonitos de se ver, mas eu quero lá saber, até tenho um certo orgulho de os mostrar :))