quinta-feira, 2 de julho de 2015

Contra o vento, pedalar, pedalar...

Ontem saí do trabalho com a ideia de ir dar uma pequena volta. 
O tempo estava incerto, escuro, cinzento, ventoso e com chuviscos mas, ainda assim, mudei de roupa e lá fui.
Depois duma descida constatei que o pneu da frente estava em baixo. Voltei a casa, enchi o pneu e fiz-me ao caminho. Estava, de facto, muito vento mas sentia-me... bem... e lá fui outra vez teimar na tal subida a pique, a que me deixa - ou deixava - ansiosa...
A ventania era mais que muita e vinha de frente, ou seja, para além da subida ser difícil, o vento também não ajudava mesmo nada...
Subi concentrada no chão à volta do pneu da frente, evitando olhar para cima. Se calhar, é como na vida... Para quê antecipar algo doloroso ou prever que é difícil antes, sequer, de lá chegarmos... Se eu olhar para o cimo da subida e não para o pneu, entro em ansiedade por pensar que aquilo é demasiado inclinado e que, se calhar, posso não conseguir subir...
Isto é algo óbvio mas, como digo, às vezes parece que sou lenta nalgumas coisas apesar de ser extremamente rápida noutras...
Depois de calcorrear a subida, contra o vento, e num chão húmido, arenoso, desnivelado, instável, cheio de pedras e pedrinhas, senti-me estupidamente triunfante porque já fiz aquela subida "milhentas vezes" mas parece que só agora, passados 'tantos' anos e tentativas, é que começa a não me custar (tanto) fazê-la... Claro que não a faço depressa ou num ritmo rápido mas... não paro ou hesito no meio e, principalmente, não fico como que a deitar os pulmões e o coração pela boca fora como costumava ficar...
Para além da condição física, suponho que isto tem também a ver com a disposição, a vontade, o estado de espírito, e eu tenho tido pensamentos positivos sobre esta subida e sobre mim mesma: que... eu consigo... e que por isso não vai ser aquela subida que me vai vencer... mesmo contra uma ventania enorme...
Prossegui. Chovia uma chuva miudinha e irritante. O vento era forte. Não via ninguém a não ser as pessoas que trabalham nos campos...
Dei meia volta e voltei para casa porque não havia tempo para mais... Foram só 26 Km mas foi melhor que nada, fiz a subida, vi o mar e ainda levei com o vento e a chuva na tromba para ver se abro os olhos...

1 comentário:

Gaja Maria disse...

Tal como na vida :) Acreditar