quinta-feira, 16 de julho de 2015

Em vésperas de aniversário...

Ao contrário de anos anteriores, não estou nem me sinto com angústias ou neuras existenciais por ir fazer anos...
Têm acontecido tantas coisas marcantes e menos boas que quando os ventos começam a mudar, uma pessoa parece que nem acredita...
Nos outros anos, e principalmente no ano passado por ir entrar nos 40, estava com uma crise e um stress por ir fazer anos que não se aguentava...
Este ano... Este ano sinto-me... diferente... sinto-me a mudar interiormente e não o consigo explicar...
Sinto-me (finalmente) a libertar e a sentir-me... livre... A não querer saber do que os outros pensam ou acham e que a minha opinião e o que sinto vale algo e é mesmo importante...
Sinto-me a não me calar, a falar mais com as pessoas, algo que nunca aconteceu muito pois sempre me fechei em mim, como uma defesa para que ninguém se aproximasse e, consequentemente, me pudesse magoar...
Lembro-me tanto das palavras do meu pai, qual sábio que previa o futuro, ao dizer que ele próprio só tinha começado a falar mais com as pessoas depois dos 40 anos, que só começou a ser quem realmente era aos 40 e tal, que só aos 40 e tal se tinha "soltado"...
Na altura não percebi bem o que me estava a transmitir pois aos 20 ou aos 30, os 40 parecem ser uma idade longínqua onde já não se passa nada e em que todos são velhos, gordos e carecas, cheios de filhos e sem vida própria...
Mas... a vida ensinou-me que não é assim. Eis-me chegada aos 40, amanhã farei 41 anos, e aqui estou, sem sentir a idade que tenho, incrédula com a rapidez do passar dos anos, cheia de energia, com um peso saudável, com um filho magnífico, com a responsabilidade duma casa e do trabalho mas com vida própria e a sentir que ainda tenho muito, ou quase tudo, pela frente para viver.
Foi preciso chegar aos 40 para aprender a viver, como dizia o meu pai... Para saber gerir melhor os sentimentos e as relações com os outros, inclusive com a própria família...
A partir de amanhã fico mais perto dos 50, mas vou estrear um lindo macacão, mesmo que me dê alguma "macacoa" (esperemos que não!).
... ... ...

1 comentário:

Gaja Maria disse...

A idade está na alma e não no corpo. Beijinhos