segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Liberdade

Há quem faça tudo e mais alguma coisa, aparentemente de forma livre.
Eu não.
Para eu ponderar se vou a uma maratona, dar uma volta de bicicleta ou a algo no ginásio, ou ao próprio ginásio, tenho que ponderar e conciliar tudo com a vida e os horários do meu filho e do meu marido.
Portanto, nesse sentido, eu não sou livre de ir onde quero como bem me apetecer.
Tudo depende se o marido está de serviço ou não (sim, e isto é sério porque marido não está propriamente no tasco da esquina a beber copos...), tudo depende se filhote tem escola, tpc's, alguma atividade ou algo para fazer.
Só depois disso tudo chego eu e o que poderia fazer...
A semanas de algo que vá acontecer, tenho que andar a ver agendas, horários e compromissos, para depois saber se "posso" ir, fazer e acontecer, ou não...
Se me inscrevo numa maratona de BTT, faço-o sempre sem o almoço incluído. Só na véspera ou no dia compro almoço se for possível lá almoçar...
Se penso em ausentar-me cinco horas num domingo de manhã para ir pedalar é melhor deixar os panelões de comida preparados de véspera e, ainda assim, fico ansiosa a pensar no almoço e afins, fora o passar a ferro, a casa, etc.e e tal...
Não tenho ajudas nem família por perto, não tenho empregadas, e não tenho um filho já semi 'independente' que, por exemplo, fique uma hora ou duas sozinho em casa, e por isso estou sempre no fim da lista...
Consigo realmente fazer uma série de coisas mas com um equilibrismo gigantesco entre tarefas domésticas e compromissos laborais, maternais e outros que tais.
Século XXI, não é...


1 comentário:

Gaja Maria disse...

Nao é fácil. .. para mim tambem não é e os meus sao praticamente adultos. A vida de uma mulher nao é fácil. ;)