quarta-feira, 2 de setembro de 2015

Ride with the wind

Ontem era para ter ido ao ginásio. Suspendi a inscrição durante o mês de Agosto pelo que agora será (ou seria...) então o regresso que, afinal, não se concretizou...
Não me apeteceu ir enfiar-me no ginásio e depois também ando um pouco farta, não sei... Parece que só importam novos clientes ou determinadas pessoas... Uma pessoa que anda lá há uma vida (quatro anos acho que já dava direito a diploma...), já vi tantas pessoas a entrarem e a saírem, mantenho-me fiel e depois parece que não interesso para nada... Avaliações físicas é quase de ano a ano. Raramente falam comigo. Ninguém parece querer saber ou importar-se por eu andar de bicicleta e em tentarem ajudar-me a melhorar nesse campo... Quem entra de novo paga menos do que eu. Quem sai, recebe imensas SMS e e-mails com promoções...
Isto tudo junto tem-me chateado mas... adiante...
Como estava a dizer, ontem saí do trabalho, comprei pão, rumei a casa e mudei de roupa...
Na verdade, talvez seja ainda o rescaldo das férias, porque enquanto trocava de roupa para ir pedalar, também me senti enfadada, farta por ter tanto trabalho com a indumentária ciclística: a roupa, as meias, o capacete, os óculos, as luvas, os sapatos de encaixe, o rabo de cavalo e a fita, o telemóvel e a aplicação ligada, o cartão de cidadão e uma moeda de 1€ caso me apetecesse um café, o bidon, ufa... Depois de pronta para pedalar, parecia que estava pronta para me atirar para cima da cama...
É que entretanto, sem a minha mãe por cá, as rotinas maternais e domésticas voltaram ao normal e em força, e o tempo começa a escassear, e a liberdade na minha cabeça também...(?)
Bom, mas para contrariar o sentimento de prostração e pensando que se ficar quieta, e a comer como ando, é peso ganho na certa, lá fui...
Estava uma ventania, como de costume, e, ainda assim, fartei-me de transpirar e nem sei porquê... Fiz uma volta curta por causa do tempo (uma hora e meia...) e no regresso dediquei-me a fazer uma subida longa que termina relativamente alta... E isso é que foi transpirar... E depois dessa subida, fiz uma descida que me dá alguns calafrios pela sua inclinação mas... estou a melhorar nos tempos em que a faço, o que quer dizer que estou a... perder medos...
Contudo, notei que o meu rendimento não foi grande coisa... E isso deixou-me algo desanimada... E vem ao de cima o para quê pedalar tanto se não passo do mesmo... Para quê mexer-me... E blá, blá, blá, blá...
Vamos ver se vou ter tempo para pedalar como antes porque o pai cá de casa passou a ter uns horários menos... "normais", digamos assim, e a minha disponibilidade fica afetada porque não há quem fique com o filhote...
Se calhar devia era dedicar-me aos tachos e às panelas, a bordar, a coser meias, a limpar a casa a toda a hora, e por aí fora...
Ser mulher é bom mas quando calha à disponibilidade parental e doméstica, sem ajudas familiares ou outras, quem se trama é o sexo feminino...



3 comentários:

Gaja Maria disse...

Toca a animar e aproveitar para pedalar enquanto o tempo deixa :)

luis miguel cabaço disse...

nada de desanimar, uns dias melhor outros pior mas sempre com vontade de dar ao pedal...
Luis cabaço

Algures no Oeste disse...

LUÍS MIGUEL CABAÇO: É isso mesmo... nuns dias melhor, noutros menos inspirados...

GAJA MARIA: Pois, e enquanto há dia ao fim do dia... ;-)