terça-feira, 15 de setembro de 2015

Superação

Bom, ontem que estava numa espécie de ressaca e de neura pós maratona de BTT, tinha combinado com a minha amiga de irmos correr novamente 10 quilómetros...
Não me sentia em grande forma nem muito inspirada pelo que, à partida, achei que não iria conseguir correr 10 quilómetros...
Durante o percurso não tive tanta tosse como de costume mas as pernas pareciam pesar toneladas e arrastavam-se na corrida por trilhos e terra, nada de alcatrão...
Achei sempre que ao chegarmos ao nosso ponto de viragem para casa (o qual tínhamos combinado ser um pouco mais longe por forma a não ter que correr numa subida íngreme que há perto de casa, e assim perfazer os 10 Km), eu desistiria e teria que parar ou desatar a caminhar depressa.
Contudo, não sei se era da conversa ou da força da minha amiga, mas a verdade é que, apesar de me estar a custar horrores, não parei...
Voltámos para trás, para casa, e vim sempre a correr, a custo...
Já perto dos 10 Km comecei a não olhar para lado nenhum pois a vontade que tinha era de me atirar para o chão a rebolar, só me apetecia também fazer caretas e esbracejar tal era o sofrimento tosco em que ia. Digo tosco porque nos entretantos só me dava vontade de rir por aquilo, realmente, custar-me assim tanto...
Às tantas tivemos que abrandar para contornar um obstáculo com o qual não contávamos (um portão fechado...) e, na verdade, senti que se parasse de correr, as pernas ainda me iriam doer mais... Ora isto é um autêntico contra-senso pois se já me arrastava na corrida como é que ao sentir-me a parar as pernas doeram para caramba...!
Chegámos à tal subida, já com os 10 Km feitos e vai daí que achei que tinha que aguentar e ir até aos 11 km! A correr na subida parecia uma velhinha ou uma idiota tal era a posição e velocidade com que corria mas não desisti...
Ao chegar a casa contava com 10.7 Km e toca de ir lá à frente e voltar para trás, correndo até aos 11 km!
Nem queria acreditar que tinha corrido 11 quilómetros pela primeira vez na minha vida, algo tão improvável e que sempre considerei impossível...
Claro que só o consegui devido ao apoio e companhia da minha amiga porque, como disse, se estivesse sozinha creio que teria parado muito lá atrás...
Enfim... a amizade e o companheirismo têm destas coisas...
Vamos ver como será daqui para a frente... Só sei que a corrida me rouba muito menos tempo que a bicicleta e o esforço que faço para correr não tem comparação...
Na corrida sinto-me a esforçar e numa espécie de progresso... Na bicicleta já não sinto tanto isso, parece que não... evoluo... Também não tenho muito tempo nem apoio ou companhia nas pedaladas... Parece que comigo mesma a pedalar não aprendo nada "ma'zé"...

Corrida 21/100 - Desafio Correr 100 Dias em 2015.

1 comentário:

Gaja Maria disse...

Muito bom. Oeste soma e segue :)