sexta-feira, 9 de outubro de 2015

Nem sempre...

Ontem cheguei mais cedo ao trabalho e geri tudo (trabalho e horários...) por forma a poder sair um pouco mais cedo para poder ir dar uma volta de bicicleta... 
Como anoitece cada vez mais cedo, e ainda que leve luzes, não gosto de andar sozinha ao anoitecer...
Despachei-me depressa porque o pai foi buscar filhote à Escola e logo aí ganhei uns 20 minutos...
De qualquer forma, perde-se sempre um pouco de tempo com a troca de roupa, o equipamento e ter tudo preparado.
E lá fui eu. Estava um vento fresco e por isso levei uma blusa de manga comprida por baixo do jersey que me soube bem. Este vento já não é apenas fresco, é mesmo já frio...
Fiz uma subida íngreme e comecei a transpirar... Pedalei completamente só, sem vislumbrar vivalma a pedalar ou a correr ou alguém a passar por mim...
Fui só até ao encontro do mar e voltei rapidamente para trás, para casa. Não deu para muitos quilómetros mas foi melhor que nada.
Foi... bom... mas nada de extraordinário...
Como foi tudo a correr por causa da escuridão, nem uma foto tirei como costumo fazer nas minhas pedaladas. E pensei que, ainda que tirasse alguma foto, que só a partilharia no Instagram e nada no Facebook.
Assola-me a ideia de que o meu Facebook está inundado de fotos e posts sobre e com a bicicleta, de voltas ao fim do dia, ao fim de semana e tipo constantemente, e que isso dá a ideia de que eu não faço  mais nada a não ser ir ao ginásio e andar de bicicleta...
Se as pessoas soubessem a gestão doméstica, pessoal e maternal, e a labuta que faço para ter tudo preparado para poder pedalar ou ir ao ginásio, não teceriam comentários sobre o facto de eu "não fazer mais nada a não ser andar de bicicleta"... Mas o ser humano é assim, mesquinho e invejoso... Como devem passar a vida alapado(a)s no sofá, sem fazer nenhum, criticam quem se mexe...
E eu que não me meto na vida dos outros, vulgo não teço comentários ou faço cusquices sobre a vida alheia, deparo-me com esta estupidez humana de quem nem sequer me conhece...
Como costumo dizer, eu não sou de cá (do Oeste...), só estou a ver os carros a passar...
E vai daí que realmente dei aquela volta mas não partilhei nada no Facebook e é assim que vai ser daqui para a frente. As partilhas têm de ser contidas e cada vez em menor número... Se ando de bicicleta e tiro fotos, fica apenas o registo no Instagram e no Facebook será tudo reduzido ao mínimo...
Sinto-me farta da mesquinhez humana e hoje acordei em dia-não... Os pensamentos mais negativos assolam-me a mente, estou farta duma série de coisas que decorrem na minha vida, coisas mesmo minhas que acho que ninguém entende, e quase a sufocar com outras tantas...
Portanto, nem sempre uma pedalada cura tudo... Afinal, foi muito curtinha e talvez por isso não tenha sortido efeito...


1 comentário:

Gaja Maria disse...

Não deixes que essas coisas te afectem. Quem gosta, gosta, quem não gosta, azar, só tem a perder, pois não sabem o quanto é bom pedalar :))