terça-feira, 3 de novembro de 2015

One morning stand ciclística

Sabem aquela expressão de "one night stand"...? Pois... essa mesma...
Tenho para mim que se pode adaptar uma expressão semelhante em relação a voltas combinadas de bicicleta ao domingo de manhã e, nesse caso, eu poderia ser considerada uma autêntica taradona ciclística... Não tanto por mim mas pelos convites que recebo...
Comecei a pedalar em 2010 e já perdi a conta ao número de pessoas que me dizem, ou melhor, disseram que haviam de dar uma volta de bicicleta comigo.
Mulheres, homens, gatos, periquitos, macacos, sapos, quiçá o elenco de "Os Marretas", eu sei lá, todo(a)s nalgum momento alvitraram a possibilidade de dar uma volta (de bicicleta) comigo...
E eu...? Eu digo que sim pois em 95% das minhas pedaladas, faço-o sozinha.
Mas voltemos um pouco atrás...
Como estava a dizer, carradas de pessoas manifestaram o seu interesse em dar uma volta comigo (de bicicleta) num qualquer domingo de manhã que é quando a malta tem tempo para isso.
Sempre disse que sim mas depois, de todos os convites e propostas recebidos, digamos que 95% não se realizaram...
Fossem homens ou mulheres, sempre adiaram as suas voltitas comigo, as suas "one morning stand" ciclísticas, fosse porque eu ora andava muito pá, ora andava pouco pá, ora tinham que se levantar cedo, ora estava chuva, ora estava sol, ora havia lama, ora havia pó, ora eram muitos quilómetros, ora eram poucos quilómetros, ora eram muitos 'singles', ora era muito estradão, ora não tinham pedalada para me acompanhar, ora eu não tinha pedalada para os acompanhar, ora blá, blá, blá...
Bom, mas se 95% da malta faltou à "one morning stand" ciclística, os outros valentes 5% lá se mandaram para a frente e, efetivamente, as voltas concretizaram-se... E até correram bem, acho...
Mas tal como nas "one night stand(s)", depois de duas ou três voltas (de bicicleta), essas pessoas desapareceram do mapa...
E das duas uma, ou eu sou uma pessoa pavorosa, horrorosa, insuportável, impossível de aturar e por isso todo(a)s fogem, ou então ando muito, ou pedalo muito pouco, ou não tenho técnica, ou prefiro estradões, ou tenho medo das descidas, ou gosto de beber café a meio da pedalada, ou porque estou calada o tempo todo, ou porque levo barritas, bom, cheirar mal acho que não cheiro, nem dos pés, por isso... Não entendo e... sinceramente não quero entender...!
As pessoas continuam a dizer que querem combinar voltas (de bicicleta) comigo mas neste momento, cinco anos volvidos sobre tantos convites sem efeito e tantas "one morning stand ciclísticas" que não se repetiram, estou a marimbar-me para o assunto e fujo a sete pés de tentativas de incursão para convites do género, salvo raras exceções, como é óbvio...
Há uma coisa que as pessoas que querem dar voltinhas comigo, salvo seja, têm que entender: eu sempre pedalei sozinha, o que é bom e pode ser mau, e portanto, não é por falta de companhia que vou deixar de pedalar, 'get it'?!!!

4 comentários:

Uva Passa disse...

Isso de andar de bicicleta é muito difícil, sabes lá, dá uma trabalheira desgraçada, vestir os calções, calçar as luvas, depois tens de colocar o capacete e ficas horrível com aquilo na cabeça, depois tirar a bike do sótão e depois lavar a bike, depois está frio e depois fica-se cheia de calor...
Caga nisso e vai sozinha. É como se vai melhor.
SE não estivesses aí no oeste quem ia contigo era eu.

Algures no Oeste disse...

UVA PASSA: Tens razão, é isso mesmo, dá muito trabalho...
Pois era, podíamos combinar umas voltas, digo o mesmo caso ainda vivesse em Lisboa ;-) Afinal, quando morava em Lisboa, não pedalava...
E um dia tens que vir até ao Oeste... ;-)

Gaja Maria disse...

Eu tenho um grupo com quem habitualmente pedalo, eu, o meu marido e dois amigos mas muitas vezes acontece nenhum deles poder e eu vou na mesma sozinha e adoro. Também já fui com outros grupos, mas sabes como é, até nisto do pedalar as pessoas amigas juntam-se umas com as outras e de preferência nunca podem ser muitas senão pode haver desatinos. O que interessa é pedalar, certo?
Beijinho

Algures no Oeste disse...

GAJA MARIA: Tens razão... o que interessa é pedalar e, provavelmente, ainda não encontrei uma pessoa ou um grupo com quem tivesse afinidade em pedalar...
Com o meu marido não dá muito porque um de nós tem sempre que ficar a tomar conta de filhote e por isso pedalamos desencontrados, enfim...
Beijinhos!