quarta-feira, 15 de junho de 2016

Outono na Primavera...

Hoje caminhei à hora de almoço para apanhar Sol e vento na cabeça, no cabelo e nas ideias...
Sabe bem fazer uma pausa à hora de almoço, seja a ir ao ginásio ou a caminhar pelo ar fresco do Oeste, sozinha, deambulando pelos caminhos, cantarolando canções que vêm à cabeça a propósito de nada e de tudo, percorrendo caminhos numa solidão saborosa...

 



Pelo caminho tirei esta foto que ficou algo desfocada e algo impercetível. Não foi uma 'selfie' mas foi tirada por mim mesma com o telemóvel no ar, mais parece que não se percebe bem o que se passa na foto e que me falta um braço...
Dei conta das folhas caídas no chão como se estivéssemos no Outono nesta Primavera triste, enfadonha e bipolar...
Dei conta do som ao pisar e passar pelas folhas caídas e lembrei-me da bicicleta e dos seus sons quando pisam folhas, troncos e galhos caídos no chão...
Afinal, na vida também é assim, podemos estar na Primavera e instalar-se uma espécie de Outono...



5 comentários:

Pedro disse...

"…deambulando pelos caminhos, cantarolando canções que vêm à cabeça a propósito de nada e de tudo, percorrendo caminhos numa solidão saborosa..."
Porque será que isto me soa tão bem?
Poesia transformada em prosa?
Estranho. Mas eu nem gosto de poesia.
Apetece voltar atrás e reler…
Foi, de resto, o que fiz.

Gosto de fotos que me intriguem e façam pensar embora nunca me passasse pela cabeça que uma selfie alguma vez me conseguisse levar por esses caminhos mas no caso desta foto, dei por mim, de uma forma engraçada, a tentar perceber de que ângulo foi tirada para que o braço que supostamente segura o telemóvel, tenha pura e simplesmente desaparecido. É uma espécie de "Onde está o Wally?". A manga, aparentemente, está para baixo mas em baixo não há braço, para cima estão os cabelos que deveriam ficar, mesmo que parcialmente, escondidos atrás do braço que não está lá...
OK! É o cotovelo e parte do antebraço com os cabelos por cima, ou também não?
My god, what a riddle! Não fazes outra. Como se não bastasse, calçaste um sapato de cada cor - just joking -

Enquanto lia "Dei conta das folhas caídas no chão como se estivéssemos no Outono…" lembrei-me dos sons dos pneus da bicicleta a passar nos trilhos e, caramba, quando chego ao parágrafo seguinte… Como é que é possível… "Que loucura, lembrou-se do mesmo!", exclamei eu com estrondo.

Metaforicamente falando, verás que essa espécie de Outono enfadonho que anda a tentar instalar-se na tua Primavera, mais não é do que o anúncio de um excelente Verão que se aproxima.

And now, last but not least. Então não é que também gosto muito dessa música dos Clã.

Algures no Oeste disse...

PEDRO: Nem sei bem como responder ao teu comentário tão 'completo'. Obrigada por, essencialmente, reparares nos detalhes :-)
É bom saber que quem nos lê afinal entende o que se está para aqui a dizer...
A foto foi tirada com o braço a tentar estar por cima da cabeça e por isso ficou tudo tão "estranho" ;-)
Ai a bicicleta, está mesmo presente nas nossas vidas... E vivam os desaparecidos Clã :-)
Até breve :-)

Pedro disse...

Já que não tens feito posts novos, apeteceu-me voltar aqui :)

Algures no Oeste disse...

PEDRO: Que curioso teres comentado aqui, não sei porquê, vim reler o post também hoje.
Há coincidências e coincidências...
:-)

Pedro disse...

Transmissão de pensamentos ;)