sexta-feira, 24 de junho de 2016

Quando chego de manhã passo sempre com o carro por cima daquelas folhas amareladas e com um ar outonal ainda que estejamos na Primavera ou no Verão.
Estão ali o ano todo, como se fossem uma manta a cobrir o chão, e o piso cinzento ganha tons coloridos.
Não sei porque se amontoam naquele sítio já que tudo é limpo e varrido ao longo do ano mas naquele sítio as folhas duram e perduram num monte rectangular e repousado...
Estão ali deitadas, como que a aconchegar aquele pedaço de chão e depois passo eu.
Vou lá e desestabilizo aquilo tudo ao passar por cima das folhas com as rodas do lado esquerdo do carro...
Piso metade das folhas com metade do carro só para poder olhar pelo espelho retrovisor e ver as folhas todas num rebuliço e burburinho enquanto voam e estão pelo ar à minha passagem...
Parece quase um tique a roçar o obsessivo porque, desde que me lembro, e já lá vão meia dúzia de anos, faço isto quase todos os dias...
Fico chateada quando estão carros estacionados por cima das folhas e que não me permitem passar por lá e deixá-las em alvoroço...
E tudo isto só para vislumbrar as folhas amareladas, que lembram o Outono, a rodopiar no ar.
É como se fosse um quadro que fica em movimento por instantes de segundo naquele sítio, àquela hora, visto pelo espelho retrovisor em repetições diárias constantes que me fazem esboçar um pequeno sorriso logo de manhã...
:-)


2 comentários:

Pedro disse...

Bem bonito, este teu texto. E dizes tu que andas sem inspiração. Imagino quando ela voltar.
Penso que consigo 'visualizar' a cena na perfeição e até me ficou a apetecer fazer um vídeo, daqueles de 10 ou 15 segundos, a reproduzir a cena e ficar a vê-lo em 'loop mode'.

Algures no Oeste disse...

PEDRO: :-)