terça-feira, 12 de julho de 2016

Fui a uma maratona de BTT, alvíssaras...!

Bom, neste fim-de-semana fui a uma maratona de BTT, a terceira do ano. Fui a uma em maio, outra em junho e agora esta última em julho.
Houve um tempo em que me entusiasmava muito por ir a maratonas de BTT. 
Ultimamente, não sinto assim uma grande animosidade em ir a provas. Fico nervosa, mal durmo na noite anterior, começo a pensar na multidão de gente que se junta na prova, em possíveis quedas, que me atrapalho nos trilhos mais técnicos, enfim... tudo junto e logo de manhã serve para ficar com uma espécie de dor na barriga e com vontade de fugir da prova... Pensar que estava bem era a dar as minhas voltinhas, por onde e como quisesse, de forma livre e liberta e não ter que estar ali condicionada à imensa gente que ali está...
Mas pronto, depois lá vou, e fui. E a verdade é que no fim soube bem ter conseguido fazer a prova, sem cair, e com problemas mecânicos na bicicleta...
Logo no início da prova fiquei sem o desviador a funcionar pelo que quando encontrava um estradão, bem queria acelerar mas... não dava mais... parecia a cena cómica de uma qualquer história de bicicletas e ainda bem que me deu para rir e não para chorar pois era deveras frustrante estar para ali a pedalar e não conseguir fazer mais e mais rápido...
Chegada à segunda parte e muitos trilhos técnicos passados por areia, pedras e arribas, o pneu da frente começou a deitar líquido num volume considerável.
Algumas pessoas pararam para ajudar, outras nem por isso, mas pronto, alguém disse para eu vedar o furo com terra e assim fiz. Felizmente o pneu aguentou-se (até hoje... o que é estranho...) e consegui fazer a prova toda. Fiz a prova toda não em grandes tempos mas... ficou feita... Não sei por que não consigo ser mais rápida nas provas, parece que se dá ali algum bloqueio que não consigo explicar...
Ou então arrumo a bicicleta e vou "maz'é" coser meias...
:P
Aqui estou na chegada à meta, carregadinha de pó e terra nas pernas e nos braços do percurso e porque no início ainda caiu uma chuvinha e humidade que fizeram com que a terra e areia 'aderissem 'ainda melhor ao corpo...

À chegada do fim da maratona...

2 comentários:

Pedro disse...

Exceptuando o medo de cair, porque esse, todos temos, continuo sem perceber esses teus receios, todos eles infundados.
Começando pelo facto de seres uma mera amadora, sem patrocínios e sem ter que provar nada a ninguém - o jersey e a equipa não contam para nada. São brincadeiras e não acredito que seja isso que te pese nos ombros, melhor seria :p -
Depois, nunca te vi ser a última das senhoras e ainda deixas uns 50 tipos pelo caminho e tudo isto a pedalares pior do que fazes durante a semana.
Se comigo fazes 40 kms com 700 ou 800 de acumulado em duas horas e meia ou pouco mais, não percebo porque demoras mais uma hora nas provas. Desta vez ainda tiveste a desculpa dos problemas no desviador. Tens de desbloquear essa situação ou vais ter-me à pega, vais, vais :)
Quanto ao ter vontade de ir às provas, isso já são outros quinhentos. Achei engraçado quando comecei porque ia descobrir trilhos novos. Agora que já começo a repetir, o entusiasmo também já não é o mesmo e pelas mesmas razões. Apesar de gostar de tentar sempre fazer melhor, não tenho que provar nada a ninguém. Não preciso de andar a rebentar quando posso andar como bem me apetece durante a semana e com a mais-valia de poder ir com (a tua) companhia.
Pelo convívio?
Qual convívio?
Numa prova, somos uma alma solitária no meio de uma multidão a menos que se junte um grupo de amigos e vá tudo junto na galhofa, do princípio ao fim.
Quanto ao coser meias. Coze antes um ovo…
…para juntar ao atum ;)

Algures no Oeste disse...

PEDRO: Pois, disseste tudo e tanto que nem sei que diga...
:-) Obrigada pelo comentário tão esclarecedor e que diz tudo :-)