quinta-feira, 8 de setembro de 2016

Que podia dizer...

Eu tinha tanto para dizer... Contudo, optei pelo silêncio, aqui no blog e mais ainda no Facebook pois não saberia por onde começar ou o que dizer... As ideias e os acontecimentos fervilham mas acho melhor nem dizer nada...
Podia falar sobre mais mudanças na minha vida, para além de todas as que já tive aquando da minha mudança para o Oeste, podia falar do meu peso, da ausência do ginásio desde o final de julho, podia falar do meu filho e de como agora parece estar a "dar um pulo" com a chegada aos 10 anos, poderia falar de alegrias e tristezas mas... vim aqui num instante falar de algo que continua a deixar-me feliz: a bicicleta...
Vim trabalhar de bicicleta e depois dá nestas pirosices de trazer as pulseiras atrás, ainda que venha com a roupa "normal" na mochila, o que tem algum peso...
Nas férias, voltei a ir a pedalar até à Serra de Montejunto e foi deveras libertador e divertido... Apesar de ter sido em agosto, ao chegar a Montejunto, estava um vento frio e fresco que me levou a vestir o corta vento na descida...
Tanto que se transpirou para chegar lá acima, parecia que nunca mais lá se chegava, e depois a descer, foi num ápice e passou tão rápido...

A indumentária ao ir trabalhar a pedalar... 

Um momento de pausa aquando da chegada ao topo da Serra de Montejunto.
Pausa para comer qualquer coisa e para mirar as vistas e inspirar o ar fresco e ventoso que se fazia sentir... 

2 comentários:

Pedro disse...

Leio este teu post e tirando a parte do passeio que fiz contigo à Serra de Montejunto que adorei e que fiquei com vontade de repetir, estranhamente, não me ocorre mais nada para escrever. Talvez porque o resto do post seja apenas tu a dizeres que não tens nada para dizer - ou não queres –
Comentar o abstracto é sempre algo de complicado e até um pouco louco e como complicado e louco, já eu sou um bocado…

Algures no Oeste disse...

PEDRO: Ou às vezes não se quer e/ou não se pode... Mas tens razão, não é fácil comentar o abstrato...