segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Parece que cheguei lá e que até passei um bocadinho...

Há uma semana atrás estava a aproximar-me dos quilómetros pedalados neste ano, que eram ainda inferiores.
Pois hoje lá fui eu ver o que se passava e foi com alegria (como se isto fosse muito importante...) que descobri que à data de hoje, estão ultrapassados os quilómetros pedalados no mesmo dia do ano passado, em 42 quilómetros. Tudo o resto se mantém abaixo: a altimetria (neste ano subi menos 452 metros de acumulado), o número de pedaladas (neste ano pedalei 97 vezes e no ano passado, por esta altura, tinham sido já 124 pedaladas, o que quer dizer que neste ano aumentei o número de quilómetros por volta), bem como o tempo a pedalar que é ligeiramente inferior neste ano mas, lá está, significa então que, com menos tempo, pedalei um bocadinho mais, ou seja, estou ligeiramente mais rápida...
Vamos ver se conseguirei pedalar ainda mais até ao final do ano, comparativamente com o que pedalei no ano passado :-)
Ai se eu tivesse uma bicicleta de estrada... ai, ai...


2 comentários:

Pedro disse...

Conforme já te disse, penso que vais ultrapassar os valores do ano passado e não andas mais e melhor por teres falta de pernas mas sim por falta de força anímica e por vezes parece-me que também há alguma falta de vontade de superação. Tanto é que quando queres, pedalas e bem :) Quando ultrapassares isso, melhoras em mais de 30% a tua performance sem sequer despender muito mais esforço físico do que despendes agora. Quem sabe, até menos.

Quanto à bicicleta de estrada, ainda um dia gostava de te ver numa mas palpita-me que fosses ter uma desilusão.
Quanto te vir subir sem usares a 'avozinha' (quanto muito, no prato do meio) em sítios onde eu uso o prato grande, aí talvez estejas pronta. Caso contrário, vais passar o tempo com ela à mão. Numa roda fina tens de fazer força e/ou levantar o rabiosque do selim, caso contrário, arreias :)

Temos de pôr só um prato 32 à frente. Assim já não vejo as batotas que fazes na cassete, lá atrás. Eu subo no 11 e tu no 42 mas ninguém vê ;)

Sendo também mais perigosas, quer por culpa das próprias bicicletas, quer por culpa dos energúmenos automobilistas que por aí circulam, espero no entanto que dissabores, nunca os tenhas uma vez que parafusos já tu tens de sobra :)

Beijoka grande e X <3

Algures no Oeste disse...

PEDRO: Disseste tudo e mais alguma coisa, nem sei que responda, ehehe :-)
Às vezes a pedalar, realmente, interfere mais na 'performance' a alma do que o corpo ;-)

Quanto à bicicleta de estrada, talvez pela posição a pedalar não fosse muito confortável para mim mas um dia gostava de experimentar... Enfim...

Beijinhos :-)