sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

"Ei, minha senhora, pssst, pssst..."

Ouço eu enquanto mudo de chuveiro porque aquele para onde tinha ido estava a esguichar água e dou por mim a ir para outro enquanto ouço um "Ei, minha senhora, pssst, pssst..." sem saber ao certo se seria para mim, já que estavam mais pessoas (senhoras) no duche...
Mas eis que constato, naquela vulnerabilidade de quem toma um duche no ginásio, que aquilo era mesmo para mim... Não fosse estar com pressa para me despachar e a levar com os esguichos da água na cabeça e na cara, teria levado a mão e o braço ao peito, e dito: "Quem, 'moi'...?".
Como é possível que aos 42 anos e uns meses ainda se dirijam a mim por causa da minha altura...
Suponho que tenha nascido no país errado e deambule numa zona onde, "ainda por cima", a maioria da população é... baixa... o que para mim é indiferente... já a minha altura para os outros, parece não ser...
Mas no caso desta abordagem, a pessoa em si até foi simpática, o que me queria dizer realmente era o seguinte: ""Ei, minha senhora, pssst, pssst... Não me quer dar um bocadinho da sua altura?" .
E a verdade é que isto veio de alguém com um metro e meio ou pouco mais do que isso.
Ao mesmo tempo pensei que só eu para estar a "passar por isto": ali estava eu despida no chuveiro do ginásio a ouvir tecer comentários sobre o meu tamanho...
Respondi que não me importava pois adoraria poder usar alguns saltos altos mas como cá ficaria ainda mais alta, coíbo-me de o fazer...
E depois sorrimos.
E depois dissemos muitas coisas.
Eu a queixar-me dos espelhos na maioria das casas-de-banho públicas e em como tenho que me baixar para me conseguir ver ao espelho e outras parvoíces similares.
A pessoa a dizer que eu podia ter sido manequim.
Eu a dizer que nunca me tinha dado para isso e que agora também já estava velha.
Velha estou eu, diz a outra pessoa, que tinha quase 50 anos.
E mentalmente pensei o mesmo: mas eu também caminho para lá, este ano faço 43...
Acabei o meu duche e não mais fui importunada por este tipo de conversas.
Não tenho ideia de as pessoas baixinhas serem abordadas por pessoas em geral e pessoas grandonas em particular a tecerem comentários sobre a sua altura. Já o oposto, sucede bastante. Acho que ouço comentários e abordagens sobre o meu tamanho desde que nasci. Em criança porque era sempre muito alta para a idade, em adulta porque sou muito alta e muito grande no meio da população portuguesa.
Isto parece ser como as pessoas magrinhas a quem toda a gente tece comentários mas às pessoas 'cheiinhas' ninguém pode dizer nada, nem diz...
Às magras pode observar-se e comentar que estão muito magrinhas. Às gordas não se pode dizer que estão gordinhas.
O mesmo se passa com as mulheres altas e grandes, como eu, com este ar quase de nórdica matulona, a quem toda a gente tece comentários e observações sobre o tamanho.
Às pessoas pequeninas tenho quase a certeza de que ninguém tece comentários ou 'manda bocas'.
Mas por que raios tem de ser assim?
Às vezes apetecia-me emigrar para um país onde todos fossem grandes como eu sou. Acabavam-se os comentários, de certeza...
Que pequenez de espírito.
Quase que podia escrever um livro com tudo o que tenho ouvido na minha vida sobre a minha altura e tamanho...

2 comentários:

Gaja Maria disse...

Quem me dera ser assim alta :)

Algures no Oeste disse...

GAJA MARIA: E eu um pouco mais baixa para poder usar saltos, ehehe...
;-)
Beijinhos :-)