terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Só me ocorre dizer: que tristeza...

Não sei o que se passa, ou passou, porque nem sequer conheço os intervenientes e, mesmo que os conhecesse, nunca ninguém sabe ao certo o que se passa, ou passou, numa relação entre duas pessoas, num namoro ou num casamento que falhou.
Independentemente de tudo o que possa ser verdade ou mentira, para haver um divórcio, antes teve que haver um casamento e planos para uma vida em conjunto. E acho que, quando alguém se casa, não programa ou planeia um dia divorciar-se, independentemente do rumo que tudo toma.
Sendo assim, e desde que me divorciei, que fiquei como que mais atenta e sensível a estas questões e por isso acho todo este processo que envolve duas figuras públicas, ou mesmo que ninguém as conhecesse de parte alguma, lamentável...
Tantas idas a tribunal, tanta exposição, tanto lavar de roupa suja entre duas pessoas que um dia partilharam uma vida, uma casa, um amor e, 'por fim', os filhos...
Acho tudo isto deveras triste, principalmente havendo filhos pelo meio, o que pensarão eles daqueles dois adultos que, "só por acaso", são os seus pais...
E os envolvidos... nem imagino o que possam estar a sentir ou a passar, ou pelo menos uma das partes, seja ela qual for, com o desgaste que processos destes acarretam, em termos psicológicos, de tempo e de tantas coisas mais... Não há sossego algum, paz ou compreensão...
Os filhos vivem em sobressalto certamente...
Que tristeza chegar-se a um ponto destes, ter que resolver a vida privada em público, nos tribunais, com tanta gente envolvida e com tantas notícias a proliferar na imprensa...
Que tristeza...




Sem comentários: