sexta-feira, 24 de março de 2017

A beleza que circunda as ruínas mostra-nos que do caos pode emergir e nascer algo de novo e belo...

Todos os dias passo por ali mas ontem apeteceu-me parar e tirar uma fotografia a algo que tem estado sempre ali, tão perto e que surge quase como uma analogia à vida.
Ali, no meio daquele estado degradante em que se encontra aquela casa, floresceram flores numa forma e cores maravilhosas.

É assim, quando menos se espera, ainda há esperança, o belo invade o que se foi deteriorando e estragando e sobrepõe-se pela sua beleza.
Às vezes está tudo lá, mesmo à nossa frente, nós é que não conseguimos ver.


2 comentários:

Pedro disse...

É isso tudo. É a tal diferença de que te costumo falar entre o olhar e o ver ou o viver ou apenas andar por aí.
A foto está muito gira e ainda para mais enquadrada num tema que aprecio, o 'urban decay' ;)
Beijinho!

Algures no Oeste disse...

Pedro: pois, foi mesmo isso, de repente olhei para ali com outro olhar... ;-)
Nunca tinha pensado nisso mas agora constato que nesse "urban decay", há um contraste de cores e mundos muito interessante...
Beijinhos.