quarta-feira, 22 de março de 2017

Barrigada de bicicleta... ou nem tanto...

Não pedalava desde o final de fevereiro pelo que as saudades da bicicleta já eram mais que muitas... E vai daí que, mesmo sem a hora ter adiantado ainda, no final da semana passada preferi ir dar umas mini voltitas ao fim da tarde, depois do trabalho, do que ir enfiar-me no ginásio... O tempo estava bom, organizei tudo no trabalho para conseguir sair um bocadinho mais cedo e aí fui eu para casa, equipar-me e colocar as luzes na bicicleta para precaver a vinda para casa, que seria já de noite...
Assim sendo, na quinta e na sexta-feira deu para pedalar um bocadinho entre o final do dia e o cair da noite e no fim-de-semana pedalei mais uns bocadinhos ao fim da manhã.
Sim, fui pedalar ao fim da manhã porque acordo (muito) cedo todos os dias para ir trabalhar e achei que, já que tinha mais tempo livre porque o filhote tinha ido passar o fim-de-semana com o pai, que podia (e devia...) acordar mais tarde para descansar um bocadinho e assim ir pedalar à vontade, sem pressas e sem horários...
No domingo saí de casa quase ao meio-dia e, apesar do tempo que ficou nublado, ainda foi uma bela voltita.
Sinto que ainda não estou em grande forma e por isso as voltitas do fim do dia foram de cerca de 30 Km cada, no sábado foram cerca de 35 Km e no domingo mais 43 Km. Não é muito mas sendo na bicicleta de BTT, porque não tenho de estrada (quem sabe um dia, ai, ai... - suspiro...), até não foi mau para quem não pedalava há... dezasseis dias...
Pedalar alivia-me a alma e, de certa forma, dá alegria aos meus dias...
Agora era preciso era que a Primavera se instalasse de vez e não estivesse escondida, como hoje... Até porque no próximo fim-de-semana muda a hora e as tardes vão ficar mais longas...



Pausa a meio duma das pedaladas. Foi difícil resistir ao mil folhas mas... dias não são dias...

Algures vista de cima para baixo, assim até parece que estou elegante mas há uns quilinhos a mais que estão alojados nos glúteos...

2 comentários:

Pedro disse...

A degustação do mil-folhas apenas deveria ser permitida no final de cada mil quilómetros pedalados.
...e mais não digo :)

Algures no Oeste disse...

Pedro: pois é mas foi muito difícil resistir... e também não é sempre... Não como bolos de cada vez que vou pedalar...
;-)