terça-feira, 21 de março de 2017

Música e letra que acompanharam a minha cabeça nas pedaladas do fim-de-semana...

E que, como ninguém me ouvia, cantei um bocadinho, soltei a minha voz cá para fora que é algo tão raro e difícil mas, ali no meio do mato, entre flores, arbustos, aves e água, cantei baixinho e só eu me ouvi a mim mesma e foi como que... libertador...

- Fácil de Entender -

Talvez por não saber falar de cor, Imaginei
Talvez por não saber o que será melhor, Aproximei
Meu corpo é o teu corpo o desejo entregue a nós
Sei lá eu o que quero dizer, Despedir-me de ti
Adeus um dia voltarei a ser feliz

Eu já não sei se sei o que é sentir o teu amor,
não sei, o que é sentir, se por falar falei
Pensei que se falasse era fácil de entender

Talvez por não saber falar de cor, Imaginei
Triste é o virar de costas, o último adeus
Sabe Deus o que quero dizer

Obrigado por saberes cuidar de mim, 
Tratar de mim, olhar para mim, escutar quem sou, 
e se ao menos tudo fosse igual a ti

Eu já não sei se sei o que é sentir o teu amor,
não sei o que é sentir, se por falar falei
Pensei que se falasse era fácil de entender

É o amor, que chega ao fim, um final assim,
assim é mais fácil de entender

Eu já não sei se sei o que é sentir o teu amor,
não sei o que é sentir, se por falar falei
Pensei que se falasse era mais fácil de entender

2 comentários:

Pedro disse...

Agora que leio a letra da canção em lugar de apenas a escutar, chego à conclusão que é muito ambígua.
Não é carne nem é peixe.
Dá vontade de perguntar à moça ao que vem ou que é que quer afinal.

Algures no Oeste disse...

Pedro: Pois é, mas a melodia é adorável...
:-)