quarta-feira, 26 de abril de 2017

Do 25 de Abril... E da minha vida...

"Esta é a madrugada que eu esperava
0 dia inicial inteiro e limpo
Onde emergimos da noite e do silêncio
E livres habitamos a substância do tempo."

(Poema de Sophia de Mello Breyner)

Liberdade pai, onde quer que estejas. 
A véspera do dia 25 de abril lembra-me muito o meu pai e os valores que me transmitiu, e a minha vida feliz enquanto filha...

Faltam aqui no Oeste as comemorações e as sandes e saladas de couratos bem apuradinhas com alho e vinagre, com que cresci quando vivíamos nos arredores de Lisboa e quando, perto da meia-noite do dia 25, se ouviam foguetes e música alta nas ruas..
Liberdade...

E aos poucos a minha vida ganha rumo, segurança e liberdade.
Aos poucos vejo-me livre e liberta de medos, receios e complexos infundados.
Falta (muito) pouco para que a revolução chegue à minha vida e que com ela traga a liberdade de que a minha alma tanto precisa...

Salgueiro Maia - Fotografia de Alfredo Cunha

2 comentários:

Pedro disse...

Boa sorte para a tua revolução ;)
…mas eu não uso quico à Salgueiro Maia :p

Private joke: Desmonta menos e vive mais.

Algures no Oeste disse...

Pedro: Obrigada...
;-)
Pois não, mas usas, dizes e fazes outras coisas..
:D

Lá isso é verdade, é mesmo do que preciso de desmontar menos e de viver mais...
Beijinhos!